Pastoras desafiam o preconceito

Elas ganham cada vez mais espaço no comando de igrejas, mas ainda enfrentam discriminação por parte de fiéis e pastores.

Conquistando um espaço cada vez maior no comando de igrejas, pastoras da Grande Vitória desafiam o preconceito de alguns fiéis ou de denominaçoes para estar na liderança de grupos religiosos.

Essas mulheres de Deus afirmam que o preconceito existe, mas que não vao desitir de anunciar a Palavra de Deus.

"Existe uma discriminação real, mas, com o tempo, as pessoas passam a respeitar nossa liderança", disse a pastora Amélia Leopoldina Carlesso, titular da Igreja Nova Aliança da avenida Marechal Campos, em Vitória. Hoje ela lidera 150 fiéis e encontra tempo para ser mãe e esposa. 

Já a pastora Maria Aparecida Back, também da Nova Aliança, diz que em algumas igrejas os pastores nao a deixam subir ao púlpito para pregar. "Deus me honrou.Por que o homem não vai me honrar?, questionou.

A pastora Nina Limas, auxiliar na Nova Aliança, acredita que o espaço à frente das igrejas será conquistado.

Segundo o presidente da Associação de Pastores Evangélicos da Grande Vitória, pastor Enoque de Castro Pereira, no Novo Testamento, Jesus institui uma nova visao de sacerdócio. "No livro de Efésios nao existe homem ou mulher.Todos são aptos a realizar a obra de Deus", afirmou.

Mas ele explicou que, quando se trata de uma igreja institucionalizada, existe  uma separaçao doutrinária que faz com que algumas denominações nao aceitem o ministério pastoral feminino. "Algumas igrejas as chamam de ministras, evangelistas ou missionárias", disse o pastor.

HOMENS

No entanto, para o padre Humberto Wuyts, da paróquia Sao Francisco de Assis, em Jardim da Penha, o sacerdócio, segundo a Igreja católica, deve ser exercido somente por homens. "Nesse momento, a Igreja Católica acha melhor nao ordernar mulheres. Optamos por seguir os ensinamentos bíblicos, como no Antigo testamento", explicou o padre Humberto.

Essa foi uma matéria que li no Jornal A Tribuna do dia 17 de abril de 2010 (sábado).Sobre o assunto, quero dizer que nao sou contra que uma mulher seja pastora. O pastor Enoque mencionou o livro de Efésios como exemplo e essa tambem é uma visão que tenho. Agora fico pensando no que o padre Humbento Wuyts citou..."Optamos por seguir os ensinamentos bíblicos, como no Antigo testamento". Se a Igreja Católica optasse por seguir os ensinos bíblicos do Antigo Testamento, nao cultuaria as imagens de santos e nao pregaria o ensino de outras coisas que sao condenadas no Velho Testamento. Essa nao colou, seu padre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar meu blog!