Selinho Nos Filhos: Uma Forma de Expressar Carinho Ou Um Ato Libidinoso?

    Muitos pais tem o hábito de beijar na boca de seus filhos, como mostra a imagem à cima. Porém, os pais que tem tal costume, estão cometendo, talvez inocentemente, um grande erro que pode resultar em consequências indesejáveis.
   
   O que pode ser apenas uma demostração de carinho com o filho, na verdade tem sido reprovado por médicos e psicólogos. O selinho dado nos filhos pode ser um ato ilícito. Pediatras alertam que o beijo pode transmitir doenças. Já os psicólogos dizem que o beijo pode erotizar a criança. Há um caso de uma mãe que fez isso com sua filha e quando a menina estava com treze ano beijava na boca de uma colega de escola.
   
    Em setembro de 2009, um fato envolvendo o tal selinho causou polêmica, pois um turista italiano foi levado preso por beijar na boca de sua filha de apenas 8 anos de idade no momento em que estava numa praia em Fortaleza, no Ceará.
 
    Sabe porque esse italiano foi preso? De acordo com a Lei 12.015/09, que entrou em vigor em agosto de 2009, o beijo na boca torna-se um tipo de crime sexual, pois a Lei caracteriza como estupro toda prática forçada de qualquer ato libidinoso. Separadamente, existia o atentado ao  pudor e o estupro.Porém ambos os crimes tornam-se um, mesmo que não haja penetração.
   
    Mesmo havendo opiniões diferentes quanto ao que diz os médicos sobre assunto, o ato de beijar na boca do filho é mesmo uma atitude errada. Talvez você já tenha escutado falar em uma doença virótica chamada mononucleose infecciosa. Ela é conhecida como a doença do beijo.Uma doença complexa, que também provoca febre alta e contínua. Alem disso causa anemia e íngua no pescoço.
   
     Através desse tipo de contado labial, a criança corre o risco de pegar tuberculose e outras doenças contagiosas. Ainda que não pareça, esse beijinho também passa cárie e pode causar algum tipo de doença bucal.
  
    Beijar na boca do filho é uma atitude desnecessária. Ainda numa fase antes dos 10 anos, de forma normal, a criança se apega com um certo tipo de amor ao pai ou a mãe, mas não é um sentimento que envolve o lado sexual dela. Mas ai é que está o perigo de beijar na boca do filho, pois esse beijinho pode alimentar esse sentimento.
   
    Os pais devem evitar criar ligações com as crianças em que elas passem por erotização. Que o beijo seja na bochecha, que o carinho seja feito de uma forma diferente do carinho que se dá ao adulto. A própria criança verá e aprenderá a viver essa diferença.