Disputa por espaço para orar em morro de Vitória


Monte Horebe é point entre evangélicos que buscam local tranquilo para orar e louvar. Cada vez mais igrejas aderem essa prática.

Em busca de uma aproximação maior com Deus, cada vez mais evangélicos buscam um espaço para orar em morros. Essa é uma prática antiga dos pentecostais que está alcançando adeptos de igrejas tradicionais e, com isso, lotando os morros nos finais de semana. Alguns pontos são bastantes disputados, como o Monte Horebe, ou Morro da Cesan, em Santa Lúcia , Vitória.

Baseado em um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE), que mostra que a população evangélica nacional cresceu  quase sete vezes entre os anos de 1940 e 2000, o pastor Enoque de Castro Pereira afirmou que essa é um dos motivos para o aumento do número de pessoas adeptas a essa prática.

Segundo ele, esse número poderia ser ainda maior, não fosse a insegurança que ronda a população.
"Antes, essa prática era mais entre os pentecostais. Hoje muitas igrejas evangélicas tradicionais, como a Batista, por exemplo, já aderiram à subida ao monte.Esse número só não é maior devido ao medo da violência", disse o pastor.

Enoque explicou que essa é uma prática bíblica, em que as pessoas buscavam ver o Senhor. "Mas muitosmantêm esse costume hoje por se sentirem bem", frisou o pastor.

Para o promotor de vendas Felipe de Oliveira Silva, 31 anos, que sobe o morro com frequência para orar, a idéia é buscar um local para ter mais comunhão com Deus. "Vamos em grupo para cantar e orar. Geralmente subimos à noite, por ser mais tranquilo, quando a cidade está em silêncio, e não temos outros compromissos para nos preocupar", disse Felipe.

A auxiliar administrativo Gislaine Runs de Souza, 24 anos, contou que o esforço para ficar mais perto de Deus vale a pena. "Buscamos uma intimidade maior, uma aproximação maior com Deus. É muito bom", afirmou.

A opinião de Gislaine é compartilhada pela estudante Sammia freitas Santos, 19 anos.

O estudante Robert Klay Alves, 27 anos, afirmou que teve respostas divinas positivas após as orações no alto dos morros. "Sinto isso em minha vida. Nos ultimos meses pedi para passar em um concurso público e fui aprovado", contou Robert.

Moradores incomodados com  barulho

Moradores que residem nas ruas José Texeira e Senerusa Paiva Stella, em Santa Lúcia, se dizem incomodados com os TRANSTORNOS causados por pessoas que sobem o Monte Horebe. Os principais problemas apontados são BARULHO E LIXO.

Uma aposentada de 68 anos, que preferiu não ter o nome divulgado, disse que o barulho de MADRUGADA é grande. "Cada um tem o direito de expressar sua fé, mas sem incomodar os demais", disse.

Uma dona de casa, também sem se identificar, afirmou que não se incomoda com as músicas e as oraçoes, mas que O LIXO DEIXADO PELOS FIÉIS É FALTA DE EDUCAÇÃO.

Segundo ela, seu marido e um vizinho é que sobem recolhendo a sujeira. "Se ao menos a prefeitura limpasse com frequência, não teria problema nenhum".

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente informou que não há registros de reclamações de barulho na região. Se alguém se sentir incomodado, deve ligar para o 156.

Em relação à limpeza pública, a secretaria de Municipal de Serviçoes disse que vai intensificar a limpeza no local e, paralelamente, fará a instalção de placas educativas para quem frequenta o morro nao jogue lixo no local.

Extraído do Jornal A Tribuna, 14 de Julho de 2010

Bom, agora eu vou dar minha opinião... A reportagem diz que eles sobem ao monte para ficar mais perto de Deus e ter mais comunhão. Lê-se que para o Felipe, que sobe o morro com frequência para orar, "a idéia é buscar um local para ter mais comunhão com Deus". Repare na afirmação da moça por nome Gislaine. Ela diz: "Buscamos uma intimidade maior, uma aproximação maior com Deus. É muito bom". Ela contou que o esforço para ficar mais perto de Deus vale a pena. Afinal de contas, o que seria buscar uma aproximação maior com Deus? O que é ter mais comunhão com Deus? Que esforço vale a pena para ficar mais perto de Deus? Outra coisa, eu fiquei analisando o final da matéria. Os moradores não só estão incomodados com o barulho, mas também com o LIXO que os FIÉIS deixam no local.  Como diz o Bóris Casoy: "ISSO É UMA VERGONHA!"