Igrejas Que Trocaram a Cruz de Cristo Pelo Cifrão

Click Para Imprimir
A Igreja Evangélica Brasileira tem sido vítima de constantes aberrações e distorções teológicas.

Infelizmente as consequências da Teologia da Prosperidade em nossas estruturas cúlticas tem sido desesperadoras. Lamentavelmente a cada novo dia surgem em nossos arraiais novos comportamentos que fazem o povo de Deus ruborizar de vergonha.


Ontem eu escrevi sobre o apóstolo Silvio Ribeiro de Porto Alegre, que possui um $ na fivela de cinto da calça. (clique neste link para ver a foto).

Pois é, diante desta sandice, confesso que fiquei a pensar com os meus botões, naquilo que se transformou o cristianismo. Para angústia dos santos de Deus, a CRUZ deixou de ser o simbolo da nossa fé dando lugar a simbolos exdrúxulos onde a prosperidade constantemente é mencionada.

Não sei se vc lembra, mais há aproximadamente dois mil anos atrás, houve um homem que disse gloriar-se na cruz de Cristo. Esse homem foi alguém que revirou o mundo de cabeça para baixo pelas doutrinas que pregava. De todos os homens que já viveram neste mundo, foi ele quem mais contribuiu para o estabelecimento do Cristianismo. E mesmo assim, foi este homem quem disse aos Gálatas:

“Longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo”, Gálatas 6.14

Caro leitor, ao contrário de Paulo, parte das igrejas evangélicas brasileiras tem pregado um evangelho muito diferente do evangelho da Bíblia. Em dias tenebrosos como os nossos, muito se tem falado sobre vitória, bênçãos e prosperidade, contudo, quase não ouvimos mais pregações sobre a centralidade da Cruz.

O pastor anglicano John Stott acerta vez afirmou que um dos mais graves equívocos da igreja evangélica é querer um cristianismo sem cruz.


A cruz de Cristo deve ser a nossa mensagem central. A morte do Cordeiro que tira o pecado do mundo deve ser a nossa proclamação. O sangue justo derramado na cruz a favor dos eleitos deve ser a nossa ênfase principal.

A cruz é o centro da história do mundo. A encarnação de Cristo e a crucificação de nosso Senhor são o centro ao redor do qual circulam todos os eventos de todos os tempos.


Oh! Quão maravilhosa é a mensagem da Cruz! Como diz a clássica canção: "Sim eu amo a mensagem da cruz, até morrer eu a vou proclamar, Levarei eu também minha cruz, até por uma coroa trocar."

Palavras e Debates

Gíria Pentecostal? Não! Isso é falta de Bíblia!

No sábado, levei minha mãe para “visitar” uma igreja pentecostalista* que fica perto da minha casa e, após deixá-la na respectiva igreja, fui para  a igreja na qual congrego. Após o culto na “minha” igreja acabar, fui buscar minha  santa mamãe na igreja na qual a mesma se encontrava, quando cheguei “na” porta da igreja, me assustei ao ouvir o pregador pronunciar a  pérola “o anjo me curou”. Todas essas coisas me levam a refletir sobre os mais diversos temas e , às vezes, até ironizá-los (tenho que rir para não chorar em muitos casos).
Não é de hoje que o movimento pentecostal tem seu “nome” manchado por elementos estúpidos que no afã de parecerem espirituais soltam um monte de clichês, bordões e frases de efeito sem qualquer conexão com as Sagradas Escrituras. Às vezes quando estou em um culto de uma igreja pentecostalista, me vejo obrigado a me segurar para  não rir. Alguém coloca uma música forrozeira para tocar (não que seja pecado!), alguém atrás de mim começa a falar em línguas, alguém a minha esquerda começa a entregar profecia, alguém a minha direita começa a dançar em mistérios**, mas acho graça que isso só ocorre quando está tocando o forró “gospel”, mas quando a música para, a galera do “fogo” esfria! Por que isso? Deus precisa de música forrozeira para atuar? Por que quando um hino mais lento, “tradicional” é tocado essas coisas não ocorrem? 
Entenda: Eu não fico com vontade de rir por causa das manifestações dos dons,  mas sim pela pseudo-espiritualidade de muitos que começam a falar daquilo que não entendem. Certo dia (nessa igreja onde deixei minha mãe), tive o azar de ouvir um pregador dizer que a igreja estava fria (só porque as pessoas não estavam gritando, falando em línguas ou coisas similares) , parecendo Batistas (palavras dele) e que essa história de ficar parado era coisa do diabo e que era por isso que Batistas “eram frios” (deu para entender? Ele disse que Batista tradicional é servo do diabo! Aff).
Há aqueles que transformam o movimento pentecostal em gritos e línguas estranhas e nada mais que isso. Certa feita ao conversar com alguém (dessa mesma igreja anteriormente citada), ao citar o nome de um amigo, esse “alguém” deve a ousadia de falar que esse meu amigo (que é da mesma igreja desse ‘alguém”) estava frio  como uma geladeira. Não deu outra! Questionei quando foi que Deus o havia transformado em termômetro para saber quem era frio ou quente (risos) e aí voou hadouken e shurioken para todo lado. Hipócrita! Limita o movimento pentecostal a gritos!
Existem aqueles também que gostam de ficar dando ordem em anjos  por qualquer motivo e que caem nos mais bizarros erros. Um exemplo desses é o Marco Pereira da ADUD que, ao que parece, gosta mais de ver demônios manifestos do que vidas, realmente, transformadas. Eu acho engraçado que ele conversa diretamente com Gabriel (não com UM anjo ), incorrendo em alguns pequenos problemas: 

1.   Anjos não são onipresentes! do jeito que tem pentecostalista barato por aí, e se outra pessoa chamar Gabriel ao mesmo tempo? Gabriel vai atender quem? 
2. Gabriel é sempre, na Bíblia, mostrado como mensageiro... por que o pastor da ADUD transforma Gabriel em uma espécie de Arcanjo? Como se ele fosse guerreiro?   Eu, me corrijam se eu estiver errado, nunca vi Gabriel especificamente como guerreiro na Bíblia. Não venha me dizer que Gabriel é multifuncional igual as impressoras da HP, afinal de contas meu compromisso é com as Sagradas Escrituras!

Virou moda agora também os pastores “forçarem” as pessoas a falarem em mistérios! Fale em mistérios agooooraaaaaaaaaaaa (será que tomaram aula com Renê?)! Depois falam que sou implicante. Me lembro de uma das primeiras vezes que fui na igreja pentecostalista anteriormente citada e ela estava quase vazia e todo mundo ficou usando jargão “Não olhe para os bancos vazio... Deus está aqui e onde vocês estão vendo cadeiras vazias tem anjos” e cada um que recebia oportunidade falava mais ou menos a mesma coisa. Por ser mais ou menos conhecido na cidade onde moro, eu recebi a oportunidade... quando peguei no microfone disse algo do tipo:

“Estou vendo todo mundo dizendo para não olharmos para os bancos,mas eu não vou ser hipócrita. Olhem para as cadeiras vazias sim, e saibam que se elas estão vazias é por incompetência da igreja... se o genuíno poder estivesse sendo experimentado, os pecadores seriam atraídos para esse lugar. Dizer “não olhe para as cadeiras” é  ignorar que essas cadeiras deviam ser ocupadas por pecadores que nesse momento estão lá fora, fazendo o que bem entendem e provavelmente irão para o inferno. E não fiquem satisfeitos com o fato de anjos estarem aqui, “sentados nas cadeiras”, pois eles não se convertem!”

Por isso que minha mãe fala que sou implicante! Tem sapato de fogo aí? Anjo isso, anjo aquilo! Affs. São um monte de jargões estúpidos sem respaldo na Bíblia. Não digo que não possa falar uma vez ou outra (risos), mas  usar tais jargões em demasia tentando demonstrar uma pseudo espiritualidade  é idiotice. O engraçado é que nenhum apóstolo usava esse tipo de jargão! Por que será? Eu acho que eles eram “boca de acho, língua de ferro e queixo de concreto” (risos). O que a igreja precisa é “tomar vergonha na cara” e ir ler a Bíblia.  E para os pentecostalistas que não gostam de ler a Bíblia, fica o recado: ANJOS NÃO CURAM! Ainda bem que Deus só deixou registrado o nome de dois anjos na Bíblia, senão a Angelolatria disfarçada ia rolar a solta.
Reconheço que existem igrejas pentecostais sérias, mas a maioria seguem os mesmos erros da igreja que citei anteriormente. Vivamos na simplicidade do evangelho bíblico.

Soli Deo Gloria.

Renan Almeida, Evangelista pela Graça de Deus.
MCIR
Extraido de Pelas Escrituras