MC Marcinho vai mesmo largar o funk para ser pastor?

Mc Marcinho, o criador do hit "Glaumorosa" fez um show no ultimo dia 22, sexta-feira, no Multiplace Mais, em Meaipe, Guarapari, aqui no Espírito Santo. Mas mesmo fazendo alguns shows, ele fala em parar ainda esse ano e dedicar sua vida a Deus.


Segundo, o AT2 do Jornal A Tribuna, (Vitória-ES) do dia 21 de Abril, ele, que é responsável por hits como "Glaumorosa", Rap Solidário", e "Princesa", vai abandonar a carreira nos palcos para ser pastor da Igreja Batista.


Enquanto ele não abandona o funk, ele continua fazendo shows. Ele disse ao AT2 que na Multiplace Mais em Meaipe, cantaria músicas mais famosas, mas que também cantaria "Fugidinha", do Michel Teló, "Burguesinha", do Seu Jorge, e também músicas de O Rappa. Ele afirmou que teria muito funk e que seria um show para dançar muito.


Em entrevista ao AT2 do Jornal A Tribuna, ele disse que já pretende abandonar o funk para ser pastor há algum tempo, principalmente depois de ter sofrido um acidente de carro que quase o deixou de cadeira de rodas, em 2006.


Acompanhe abaixo a entrevista:


AT2 - Depois da gravação do DVD "Tudo é Festa" você passou a se apresentar com uma banda. Acha que isso é o que te diferencia de outros cantores de funk?


Mc Marcinho - Meu estilo sempre foi diferenciado. O Buchecha, por exemplo, tem um estilo pop. Eu não, misturo o funk com pop e por meio dessa mistura tudo tem dado certo, graças a Deus. Antes era só um batidão, agora a gente conseguiu fazer essa mesma batida com a banda. Eu musicalizei o funk sem tirar a essência dele.


AT2 - Você é filho de sambistas. enfrentou resistência por ter escolhido o funk em vez do samba?


Mc Marcinho - Não, nada disso. Hoje não curto tanto, mas já fui amante do samba. Mas nunca corri o risco de ser pagodeiro (risos). Acho maneiro, mas o funk falou mais alto, era pra ser assim.


AT2 - Suas músicas falam de amor. Você é romântico?


Mc Marcinho - Muito. Minha mulher pelo menos nunca reclamou. Estamos juntos há 14 anos.


AT2 - È verdade que você pretende deixar o funk para se dedicar à igreja?


Mc Marcinho - Sim.


AT2 - Vai parar de fazer shows?


AT2 - Quando?


Mc Marcinho - Vou só esperar o DVD sair, fazer alguns shows de divulgação,respeitar uns contratos e depois paro. Ainda não tenho data certa, mas vai ser esse ano ainda. Vou fazer a vontade de Deus.


AT2 - Quer ser pastor?


Mc Marcinho - Sim, já prego na igreja, mas quero me envolver mais. Não dá para continuar no funk.


AT2 - Foi depois do acidente que você sofreu em 2006 que você se converteu e quis ser pastor?


Mc Marcinho - Eu fui criado no Evangelho e sempre tive vontade. Fiquei um tempo afastado da igreja e depois do acidente eu voltei.


AT2 - E o que os seus amigos do funk falam?


Mc Marcinho - Muitos falam que estou maluco. Mas é isso que eu quero fazer. Tenho que ir para o caminho que acho melhor. Não esquento com o que os outros estão falando. Sei o que Deus fez por mim, a importância de Jesus na minha vida. Quero dedicar minha vida a Ele.


Bom, nem vou comentar nada...Sou suspeito falar alguma coisa a respeito disso.

Devolva a menina pastor!

Lendo o Jornal A Tribuna (Vitória-ES) no dia  21 de Abril me deparei com o seguinte título na pagina de Cidades: "Briga por guarda de menina de 4 anos". 


Pedreiro diz que deixou  a filha com um pastor para que ela fizesse um tratamento médico, mas agora quer a menina de volta.


O pedreiro Isaías Engelhardt, de 51 anos, luta na Justiça contra um pastor de uma igreja evangélica de Castelo Branco, Cariacica, pela guarda de uma criança de  4 anos.


A menina é filha do pedreiro e ele afirmou  que deixou a família do pastor levá-la para Vila Velha Há 8 meses para cuidar de uma deficiência congênita (pés tortos).


Segundo o advogado de Isaías, Luiz Otávio Lara, o pastor entrou com um pedido de guarda. o pai biológico tem até segunda-feira (25) para entrar com defesa na Justiça.


O nome do pastor não está sendo divulgado porque ele preferiu não dar entrevista, já que o processo está em segredo de Justiça.


Isaías contou que a família do pastor foi até sua casa, em Castelo Branco, para oferecer ajuda. "Deram o telhado para eu colocar em minha casa e pegaram a criança, porque disseram que iam tratar dela. Ela não conseguia andar direito, tem o pé torto. Ela ficou com eles e até fez operação. Mas agora não querem mais me dar a menina de volta".


Isaías destacou que nunca pediu para a família do pastor adotá-la e que teria sido enganado por ele, porque não sabe ler nem escrever. "Antes eu via sempre a menina e agora nem me deixam mais vê-la, porque disseram que a juíza falou que não era para eu pegar a menina. Eu assinei há alguns meses um termo para ela poder viajar e fazer exames. Mas me enganaram,porque achei que eles só iam ficar com ela durante o tratamento. Porém agora eles querem minha filha."


A mulher de Isaías morreu há dois anos e ele vive com mais um filha, de oito anos, sozinho. O pedreiro afirmou que sempre deu muito amor às crianças. "Nunca bati nas minhas filhas. Dou muito amor e carinho. Agora vou pedir a juíza para ficar com ela.".


Ontem ( Quarta-feira, 20 de Abril), foi realizada uma audiência preliminar com o pai e o casal que entrou com o pedido da guarda. Segundo o advogado de Isaías, a juíza deu guarda provisória para o pastor, já que a menina precisa de cuidados e esta fazendo tratamento.


Na segunda-feira, o advogado vai entrar com defesa para tentar retomar a guarda. A juíza Richarda Littig da vara da Infância e Juventude de Vila Velha, disse que não pode se pronunciar, pois o caso está em segredo de Justiça.


Jornal A Tribuna, 21 de Abril de 2011.

Multirão para comprar igreja de R$ 300 mil

Esse foi o título de uma pequena matéria no Jornal A Tribuna (Vitória-ES) do dia 21 de Abril de 2011.
Para arrecadar dinheiro e adquirir o imóvel, 50 fiéis se reuniram e decidiram produzir e vender pães caseiros..
São aproximadamente 250 pães produzidos e vendidos por semana, que custam entre R$ 3,50 o simples e R$ 4,50 os recheados com goiaba.


Foi com esse trabalho que um grupo de 50 fieis da Igreja Batista Esperança, em Santa Inês, Vila Velha, comprou o templo no valor de R$ 300 mil.


O imóvel foi financiado, mas a entrada de R$ 80 mil foi dada com o dinheiro que o grupo conseguiu guardar em caixa.


Os pães são fabricados por quatro fiéis em uma cozinha preparada especialmente para isso na igreja. A venda é feita no próprio bairro, em outras igrejas evangélicas de Vila Velha, na Feira de Paul e também por encomenda.


A ideia do Ministério do Pão, como é chamado, surgiu a pouco mais de um ano, para arrecadar fundos para a compra do templo.


Os auxiliares de padaria Adevani  Rosa Thompson, 48 anos, Dulcimar Trindade, 44, Gilmar da Silva Prazeres, 43, e Marcelo Thompsom,51, colocam a mão na massa voluntariamente de quinta a sábado para produzir as delicias. O material utilizado é doado pelos demais 46 fiéis da igreja.


"Antes a gente fazia nossos encontros nesse mesmo local, que era alugado. Como o imóvel estava à venda, decidimos arregaçar as mangas para comprá-lo. E deu certo", disse Adevani.


Ela contou que, quando surgiu a idéia de produzir os pães,o grupo fez um rápido curso curso de panificação e não parou mais.


Já Dulcimar destacou que quem quiser encomendar os pães para se deliciar no final de semana pode procurá-los de quinta à sábado na Igreja Batista Esperança, que fica na Rua Santa Luzia,ou entrar em contato pelos telefones (27)3084-6878 e 92929338.