Um cachorro galã com fama de ator


Ele invade as residências para conquistar as cadelinhas. Um cachorro,mistura de pinscher com vira-lata, muito namorador, está engravidando as cadelinhas da Mata da Praia, em Vitória, e já ganhou até apelido na vizinhança: José Mayer.

Os donos de cadelinhas de raça estão assustado. Eles não sabem de onde é o cachorrinho e temem que seus animais peguem animais pulgas ou carrapatos.

Mas, apesar de passear muito pelo bairro, o cão namorador tem dona e nome. Ele se chama Pingo e sua dona Maria das Graças Spinassé, é moradora do bairro. Ela contou que o galã das cadelinhas é um ótimo cachorro.

"Ele é muito carinhoso e obediente. Mas, quando tem cadela no cio, não tem jeito.. Ele foge sem sem a gente ver. Sai quando meu marido abre o portão para ir trabalhar", disse.

A dona destacou que, geralmente, quando Pingo vai namorar passa a manhã toda fora. "Ele volta na hora do almoço, morrendo de sede e de fome. Depois de comer, ele dorme a tarde toda", completou.

Ela disse que o animal anda tanto que já foi encontrado nas proximidades de Jardim da Penha e do bairro República.

FILHOTES

Pingo é tão namorador que tem vários filhotinhos espalhados pelo bairro. Maria das Graças contou que, alguém vem avisá-la de novas crias. "De vez em quando, alguém vem brincando, pedir pensão".

Acadelinha Princesa, da comerciante Cristina Altoé, foi uma das vítimas do galã Pingo. Ela, que é uma mistura de ilhasa apso com maltês, tinha oito anos quando engravidou. "A gente tinha tentado com vários cachorros da mesma raça, mas ela nunca tinha conseguido cruzar. Ele é tão pequeno que achamos que ela não engravidaria. Foi uma surpresa", revelou.

Do cruzamento, nasceram dois filhotes: uma albina e uma caramelo. A primeira está com o filho de Cristina, em São Paulo, e a segunda, está na casa da comerciante.

"Não sabemos onde ele mora. Ele é muito esperto, entra nas casas pelos portões, porque é fininho. Ele não voltou para assumir a paternidade", brincou.

"NAMORADOR"
 "Todo mundo me fala que o Pingo é namorador. Um dia estava passeando e o flaguei com uma cadelinha. As que ele namora,, são maiores, não sei como ele faz. Quando Pingo chegou na minha casa, achei que ele não ia conseguir cruzar, pois é muito pequeno. Não sei quantos filhotes teve, só sei que foram muitos.Mas ele é um ótimo cachorro." (Maria das Graças)


Jornal A Tribuna (Vitória-ES) - 16 de  Julho de 2011