Cantora evangélica canta falando com alguém que já morreu


Sei que muita gente vai odiar meus pensamentos expostos neste texto. Podem dizer que estou interpretando tudo ao pé da letra, e tal. Sabemos que os evangélicos, em geral, não aceitam comunicação com mortos e abominam a prática do espiritismo. E é claro, a Palavra de Deus condena tal coisa! Porém, nos dias atuais, muitos cristãos ainda não examinam tudo, conforme I Tessalonicenses 5:21 e precisam abrir os olhos para enxergar muitas coisas negativas, ainda que pareçam nocivas para os cristãos.

Antes de tudo, quero lembrar que já tive mãe. Ela faleceu em Junho de 2008 e sinto saudades dela sim. Tenho saudade dos bons momentos juntos, arrependimento de não ter feito mais por ela e de ter feito coisas erradas como filho. Porém, esses e outros sentimentos não vão me levar a compor uma canção em homenagem a ela e cantar para ela. E, o que vou expor aqui, surgiu quando parei para ouvir uma recente música evangélica.

O cantor sertanejo Leonardo, tempo depois da morte do seu irmão Leandro, compôs a música Mano, na qual faz uma homenagem ao seu irmão. Na letra ele diz:

“Mano, você é meu sangue, mais que um amigo

Me dizia coisas que até hoje eu sigo

E será pra sempre um pedaço de mim

Mano, cantar ao seu lado me deixou orgulhoso

Agradeço a Deus, foi maravilhoso

Eu sempre sonhei com imagens assim

Mano, eu me lembro do nosso pequeno universo

O primeiro acorde, o primeiro verso

Parei pra lembrar hoje no camarim

Juntos, nós fomos a voz de uma linda canção

Digo a você lá do fundo do meu coração

Nossa missão foi cantar e levar alegria

Mano, você é a letra, eu sou a melodia

Mano, você sempre foi mais que um companheiro

Nas horas difíceis foi tão verdadeiro

Me deu a certeza que no fim vou vencer

Todas as dificuldades, muralhas, barreiras

Você me dizia que no fim da poeira

Um lindo horizonte vai aparecer

Mano, as suas palavras me fizeram de aço

E hoje eu sei que em tudo que eu faço

Eu posso cantar e contar com você

Mano, você é a letra, eu sou a melodia

Mano, você é a letra, eu sou a melodia”.

Ele está ou não falando com um morto? Eu, quando era mais novo e ainda não havia aceitado de bom grado a Palavra de Deus, cantei essa musica várias vezes, assim como outras do cantor Leonardo. E só agora, vi que a canção que ele fez ao irmão Leandro, é um diálogo com morto.

O mesmo ocorreu com o famoso Elvis Presley após a morte de sua mãe, quando ainda louvava ao Senhor e pertencia á Assembléia de Deus. Ele compôs a canção "I'II Remember You" que traduzido é "Vou lembrar você".

A letra diz:


I'll remember you
 Eu vou lembrar você
Long after this endless summer is gone
Muito tempo depois deste verão sem fim se foi
I'll be lonely oh so lonely
Eu vou ser solitário, oh, tão solitário
Leaving only me to remember you
Deixando apenas me lembro de você
I'll remember you
Eu vou lembrar de você
Your voice as soft as the warm summer breeze
Sua voz tão suave como a brisa quente de verão
Your sweet laughter, mornings after
Seu riso doce, manhãs depois
Ever after, Ooooh, I'll remember you
Sempre, Ooooh, eu vou lembrar de você

To your arms someday I'll return to stay
Para seus braços um dia eu vou voltar para ficar
Till then...
Até então...

I will remember too
Eu vou lembrar muito
Every bright star we made wishes upon
Cada estrela brilhante que fizemos sobre desejos
Love me always, promise always
Ama-me sempre, a promessa de sempre
Ooooh, you'll remember too Ooooh,
você vai se lembrar também

I'll remember you.
 Eu vou lembrar de você.

Essa canção ele fez em homenagem a sua mãe que já havia morrido! Ou ele estaria homenageando os fãs? Talvez, em sua mente, nem passou a idéia de que estaria cultuando alguém que está morto, assim como o Leonardo. 

O fato, é que hoje, isso está ocorrendo em nosso meio evangélico e passa despercebida na mente de muitos cristãos evangélicos. E eu estou falando da canção Na Eternidade, da cantora Bruna Karla. E ela parece se inspirar na canção de Elvis Presley menciona a cima. Bruna Karla diz na letra de sua canção, as seguintes palavras:

Quero me lembrar de você

Como alguém que sempre ousou sonhar

E acreditar nos sonhos de Deus

Quero me lembrar dos verões

Quero me lembrar das canções

E das lições que me ensinou

Se eu pudesse eu voltaria atrás

E te beijaria muito mais

Mãe ouviria mais os teus conselhos

Sinto tanta falta do teu cheiro

De acariciar os teus cabelos

Mas aprouve a Deus te colher

Minha esperança é que na eternidade eu vou te ver

Na eternidade, sem sentir saudade

Vamos adorar a Deus

Na eternidade com os meus amados

Do jeito que eu sempre quis

Porque lá no céu

Toda hora é hora de ser feliz"

Você, amigo leitor, pode até acha isso uma idiotice de minha parte estar falando sobre a música Na Eternidade de Bruna Karla, e não estou dizendo que a Bruna Karla não é de Deus, mas esse é um pensamento meu, quer os outros cristãos concordem ou não. Temos que deixar de ser ingênuos demais e começar a analisar e refletir em tudo o que se ouve e se canta hoje quando o assunto é música evangélica. A Bíblia nos diz que quem é espiritual discerne bem tudo. Portanto, eu, particularmente, não vou deixar que enfiem em minha mente coisas antibíblicas encontradas em musicas e pregações.


Em Cristo, Nerly Nunes

Pastor Ciro Sanches e mais uma sobre o Festival Promessas

Mais uma vez, ele defende o verdadeiro Evangelho em suas postagens. O pastor Ciro Sanches tem soltado verdades contra esse evangelho supérfluo que a Globo abraçou.

Por que Deus reprova o evangelho-show “globalizado”



Estava disposto a não escrever mais sobre o Festival Promessas, pelo menos neste ano. Mas muita gente não entendeu o que eu quis dizer com os artigos anteriores, e precisarei repisar (e não apesar reprisar) algumas verdades que venho dizendo desde janeiro de 2007, neste blog.

As minhas críticas anteriores não se limitaram a apresentações e a comportamentos episódicos. Não me referi exclusivamente ao aludido festival. Também não aludi, apenas e tão-somente, à conduta e à postura das celebridades presentes ao evento. Na verdade, vali-me desse episódio para reiterar minhas críticas ao evangelho-show. Este é o verdadeiro vilão da história.


Muitos gostam do que escrevo; outros, nem tanto, é evidente. Aliás, alguns reagem com tanta truculência que acabam revelando a todos os frutos do evangelho-show. Certa cantora e-van-gé-li-ca — não me pergunte o nome dela — escreveu em seu Twitter: “Definitivamente esse tal Ciro Sanches Zibordi é extremamente ridículo”.


Boa parte dos seguidores do evangelho do entretenimento não demonstra ter mansidão. Se eles acharem que alguém está falando contra os “ungidos” (cantores-ídolos), reagem como fãs. Xingam pastores de medíocres, ridículos, invejosos e ameaçam... Têm eles o Espírito Santo? Dão lugar para Ele amadurecer neles o seu fruto? Que tipo de cristão é o amante do evangelho-show?


Respeito a opinião de todos os leitores, até mesmo dos mais exaltados. Mas não tenho medo de dizer: Deus reprova o evangelho-show! Por quê? Porque o Evangelho deve ser comunicado, não da maneira como as pessoas desejam ouvi-lo, e sim da maneira como precisam ouvi-lo. O evangelho do entretenimento não produz discípulos de Jesus, como ordena a Palavra do Senhor, literalmente, em Mateus 28.19: “fazei discípulos de todos os povos”.


O falso evangelho em apreço desvia as pessoas da verdade. Ele as distancia da Palavra de Deus e as aproxima do mundanismo. Ele integra, admito, e induz os jovens a dançarem, a balançarem o corpo, a se divertirem, a se alegrarem, a se exibirem, a serem “o povo mais feliz da terra”... Mas estes — ainda que não admitam — continuam vazios, pois o que dá prazer realmente é andar segundo a lei do Senhor (Sl 1.1,2).


Leia os comentários dos adeptos do evangelho-show, neste blog ou nas redes sociais, e você verá que a maioria deles não tem prazer na lei do Senhor. Uma simpatizante desse peudo-evangelho, revoltada com o que escrevi, desabafou: “já cansei desse papo de certo ou errado”. Outra sugeriu que está havendo perseguição aos levitas, como se fôssemos israelitas e vivêssemos nos tempos da Antiga Aliança...


Alguns adeptos do evangelho-show acham que a Trindade é uma doutrina romanista. Com quem eles aprenderam isso? Deve ter sido com certos astros da música gospel que dizem ter a “voz da verdade”, pois a doutrina da Trindade é uma das mais enfatizadas na Palavra de Deus, no Antigo e no Novo Testamentos! Ela é a chave para o entendimento de várias outras doutrinas fundamentais.

Outros defendem ferrenhamente os seus adoradores-ídolos, mas não sabem definir adoração, louvor e cântico, à luz da Bíblia. Aliás, sequer aprenderam que a adoração verdadeira jamais deveria receber o adjetivo “extravagante”! Extravagância não combina com adoração!


Caros “adoradores extravagantes”, sei que muitos de vocês não gostam da Palavra de Deus, pois ela não aprova o seu procedimento. Mas os desafio a fazerem agora um estudo bíblico comigo. Abram as suas Bíblias em 2 Crônicas 20.18. Viram como Josafá se prostrou com o rosto em terra, adorando a Deus? Agora, abram em 2 Crônicas 29.29 e Neemias 8.6. Depois, em Jó 1.20 e Salmos 95.6. E já que é época de Natal, leiam comigo também Mateus 2.11, a respeito dos magos do Oriente: “e, prostrando-se, o adoravam”.


Onde está a adoração extravagante, tão festejada pelos seguidores do evangelho-show? Em todas as passagens citadas a respeito da adoração, ela é acompanhada de prostração, quebrantamento, choro, humilhação. Isso é o verdadeiro produto do adorador, e não os shows com luzes coloridas, danças, canções de autoajuda, estrelismo, “unção do leão”, “cair no Espírito”, bota de píton, gritinhos frenéticos, ritmos eletrizantes, linguagem chula, falsas profecias, derramamento de azeite sobre a cabeça de alguém e outras futilidades!


Deus reprova o evangelho-show porque este oferece ao povo o que ele deseja, assim como fez Arão (Êx 32.1-6). Por influência desse falso evangelho, os cultos não têm mais espaço para a exposição da Palavra de Deus. No mínimo, dois terços das nossas reuniões de “adoração” são preenchidas com cântico, música e irreverência. Mas o Senhor tem levantado homens e mulheres que, à semelhança de Moisés, têm dado ao seu povo o que ele precisa (Êx 32.7-35).


Sim, o Senhor reprova o evangelho-show! O show precisa acabar. O show da falsidade, da mentira, da apelação, do engodo, do amor ao dinheiro. Voltemos a cultuar o Senhor Jesus em nossas igrejas! Com menos cantoria e mais louvor. Com menos triunfalismo e mais pregação cristocêntrica. Com menos sofisticação e mais simplicidade. Com menos performance gestual e mais quebrantamento do coração. Com menos descontração e mais arrependimento.


Deus sempre será contrário ao evangelho-show, porque show não é culto, e culto não é show. Não precisamos chegar ao Céu (como já me sugeriram alguns internautas) para descobrirmos que o Senhor não recebe os shows “evangélicos”. Temos a Bíblia Sagrada. Para que servem os mandamentos, princípios, exemplos, verdades e doutrinas contidos na Palavra de Deus?


O problema é que muitos hoje têm vontade de pular, dançar, gritar, correr... Só não têm vontade de andar segundo as Escrituras. Gostam de ouvir gritinhos frenéticos. E “adoram” quando o seu cantor-ídolo diz: “Tire o pé do chãããão”. Mas, quando alguém os convida a abrir as Escrituras, torcem o nariz e pensam: “Lá vem ele com esse papo de certo ou errado”.


Você também está cansado desse “papo” de certo ou errado, prezado leitor? Saiba que Deus também está cansado desse evangelho-show! Ele quer que nos humilhemos diante dEle: “se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar [...], então, eu ouvirei dos céus” (2 Cr 7.14).


Ciro Sanches Zibordi

Festival Promessas divide opiniões dos evangélicos

A Rede Globo transmitiu neste domingo, 18, o Festival Promessas, evento que reuniu nove nomes da música gospel no Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro. Os cantores do segmento comemoraram a abertura da emissora que nunca teve muita proximidade com os evangélicos, mas por outro lado diversos fiéis questionavam se aparição é válida para promover o evangelho.
O pastor Ariovaldo Júnior usou seu Twitter para criticar os cantores que aceitaram participar do festival. “Acha mesmo que esse tipo de coisa na TV beneficia o Reino? Isso aí é o tipo de coisa que Jesus expulsou do templo no chicote!”, disse ele.
Ariovaldo critica o evangelho pregado nessas canções e diz não é o evangelho de Jesus, mas de Mamon. A resposta foi dada para uma tuiteira que tentava convencê-lo de que o espaço dado pela Globo faria a Palavra de Deus chegar mais longe.”Eu definitivamente não tenho nada a ver com essa corja gospel. O evangelho que conheço não é essa palhaçada”, criticou.

Por outro lado muitos pastores comemoravam o espaço dado ao público, já que hoje os evangélicos representam 20% da população brasileira. O pastor Silas Malafaia, que de acordo com a Folha de São Paulo seria o grande idealizador do festival, também comemorou a programação em seu Twitter, e não foi só isso, ele também pagou por uma das propagandas exibidas nos intervalos do programa Festival Promessas.

Malafaia já havia profetizado que um dia estaria na emissora carioca falando de Jesus. Quem se lembrou dessa palavra foi o pastor Vicente Sabbatino que escreveu: “O Profeta de nossa geração disse que um dia estaríamos na Globo. O Festival Promessas é apenas o primeiro ato de uma sinfonia de vitória.”
Quem também resumiu sua opinião a respeito dessa polêmica foi o pastor Junior Souza que escreveu em seu microblog que “a Globo a usa os evangélicos para ganhar audiência e nós usamos a Globo para pregar o evangelho”.


 Ibope da emissora


Muitos acreditavam que os interesses da Globo era apenas para alavancar o ibope que tem diminuído nos últimos anos. Se esse era o real objetivo, então ele foi alcançado, pois o programa teve 13 pontos de audiência (cada ponto significa 58 mil de tvs ligadas) quase o dobro do ibope registrado entre as 13h e 14h do domingo passado que teve apenas 7 pontos.
Um dos momentos do evento mais comentados nas redes sociais foi quando a cantora Ana Paula Valadão, juntamente com o grupo Diante do Trono, declarou o versículo de João 3:16, todos os milhões de telespectadores ficaram sabendo do amor de Deus.
Conforme foi adiantado por Regis Danese, a direção do festival não censurou os cantores de fazerem ministrações e adorarem a Deus da mesma forma como fazem nas igrejas. Performance elogiada pela cantora Jozyanne, que comemorou através do seu perfil no Twitter.


“Fizeram daquele palco um lugar totalmente de adoração a Deus! É a Palavra que entra neste momento na casa de milhares e milhares de pessoas”, disse a cantora.
Ana Paula Valadão escreveu uma curta frase expressando seu sentimento sobre o sucesso da programação: “O Brasil é de Jesus!”.

VIA GRITOSDEALERTA.COM.BR

Missionário passa bem por interrogatório de muçulmanos

Por Marcia Pinheiro 16 de dezembro de 2011
Mais uma vez o Senhor ouviu a oração daqueles que se dispuseram a interceder por um dos obreiros da terra da JMM, que desenvolve seu trabalho em área considerada de risco à pregação do Evangelho.

Na última quarta-feira (14) ele foi interrogado por mais de 50 líderes e autoridades da mesquita da região. Alguns estavam furiosos e duvidavam do nosso missionário local. Mas o Senhor concedeu-lhe sabedoria para responder a todos os questionamentos e apresentar seu trabalho que contribui para o desenvolvimento da população.

Ao final de uma hora e meia de interrogatório, os muçulmanos o dispensaram, dizendo: "Que Deus faça o bem para você!".

Ele e todo o grupo de obreiros da terra na região estão debaixo de vigilância há meses. Eles têm sofrido duras acusações por parte de fundamentalistas locais.

Interceda também pelo fortalecimento espiritual dos seguidores de Cristo em áreas de risco. Coloque todos em suas orações diárias, a fim de que a obra de evangelização mundial alcance todos os povos.

Outdoor de Maria com teste de gravidez causa polêmica

Publicado na Exame


Católicos não gostaram de ver um de seus principais símbolos de fé retratado com a modernidade de um teste de gravidez
Sem ter jamais se relacionado com um homem, Maria descobre que está grávida, numa situação em que até mesmo um simples olhar poderia classificá-la como adúltera. Essa imagem foi ilustrada, em Auckland, na Nova Zelândia, por meio de um outdoor que mostrava a Virgem surpresa com o positivo de um teste de gravidez.
Tudo foi ideia do reverendo Glynn Cardy, da igreja anglicana Saint Matthew. Ele queria que as pessoas refletissem sobre a realidade da mãe de Jesus, que além de viver em uma sociedade ultraconservadora, era pobre. “Acusada de ter um filho ilegítimo, ela era um mulher de enorme coragem e fé, e não um ícone plastificado, alguém sem sentimentos”, disse.
O problema é que os católicos não gostaram de ver um de seus principais símbolos de fé retratado com a modernidade de um teste de gravidez.
Cerca de 100 integrantes da Ação Católica rasgaram a peça em protesto, segundo Arthur Sinner, o líder, porque aquilo era uma coisa demoníaca. “Só há uma fé, a Católica Apostólica Romana, porque estamos ligados diretamente com Cristo”, afirmou. “As demais são seitas criadas pelo homem.”
Sinner justificou que Satanás teria se aproveitado da situação da igreja anglicana, dirigida sobre preceitos de igualdade que inclui homossexuais e feministas, para pôr em dúvida a virgindade de Maria.
Porta-voz da Igreja Católica, Lyndsay Freer também não aprova o outdoor, mas criticou a atitude da Ação Católica. Apesar disso, Sinner disse que, se precisar, rasgará outra vez o outdoor.

2leep.com

Vi no Pavablog

Pastor Ciro Sanches escreve sobre o Festival Promessas

Esse evangelho “globalizado” promete...


O mundo evangélico está em festa. Afinal, uma porta hiper-mega-super se lhe abriu! E, a partir de agora, o evangelho “globalizado” entrará nos lares de milhões de pessoas. Os “sonhos de Deus” se realizaram!

Como Zaqueu, várias celebridades gospel subiram ao palco, no domingo passado, e chamaram todas as atenções para si. Aos críticos restou assistir ao show “entre a plateia”, enquanto os astros festejavam: “Tem sabor de mel, tem sabor de mel”.


Entretanto, eu fiquei um tanto decepcionado com o Festival Promessas... Esperava mais extravagância. O público até que dançou, ao som de ritmos frenéticos. Mas senti falta daquele grupo de dançarinos rodopiando para lá e para cá. Também não houve “unção do leão”, “cair no Espírito” ou encenação de linchamento do Diabo.

Outro ponto negativo: nenhum cantor profetizou que o Brasil seria hexacampeão em 2014. Mas, quer saber qual foi a minha maior decepção? Alguns cantores, por incrível que pareça, falaram de Jesus!


Ironias à parte (pois eu reconheço que elas são irritantes), esperarei um pouco para dar uma opinião mais embasada sobre a aliança comercial estabelecida entre a Rede Globo e os astros do mundo gospel. Mas todos os meus leitores já sabem que não morro de amores pelo evangelho-show. Isso não significa que eu seja contra os cantores e músicos evangélicos — tenho até alguns amigos famosos!

Não quero que me vejam como estraga-prazeres! Oponho-me, na verdade, ao que a Bíblia condena: o secularismo (Rm 12.1,2), o estrelismo (Sl 138.6), o exibicionismo (At 12.21-23), o mercantilismo da Palavra (2 Co 2.17), o ecumenismo (Jo 14.23), o hedonismo (2 Tm 4.10) e tantas outras influências filosóficas constantes do evangelicalismo moderno (2 Co 11.3,4; 1 Tm 6.3,4).


Quem conhece de fato o Evangelho sabe que ele é cristocêntrico, e não antropocêntrico (1 Co 1.22,23; 2.1-5). Como podemos louvar a Deus com hinos (hinos?) feitos para massagear o ego das pessoas, ou mediante composições que priorizam sonhos e promessas, mas nada falam das doutrinas, mandamentos e princípios contidos nas Escrituras? Precisamos voltar a glorificar a Deus com hinos que enalteçam a Jesus e enfatizem a sua obra expiatória.


Deus não prioriza multidões. Ele prioriza a verdade (Mt 7.13,14,21-23). Lembra-se do que está escrito em João 6.51-69? O Senhor Jesus, através do seu “duro discurso”, mandou embora uma grande multidão de interesseiros. Depois que Ele disse a verdade ao povo, restaram apenas os doze apóstolos. E a estes o Mestre disse o quê? “Quereis vós também retirar-vos?” (v.67). Certamente diante de olhos arregalados, Pedro respondeu: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho de Deus” (vv.68,69).


Responda com sinceridade, caro leitor: Aquela multidão de evangélicos que compareceu ao festival em apreço estava ali por amor à Palavra de Deus e ao Deus da Palavra? Ela estaria disposta a — como nos dias de Esdras e Neemias (Ne 8.1-12) — ouvir atentamente a exposição das Escrituras?

Permaneceriam aqueles jovens no mesmo lugar, atentos, caso ouvissem um “duro discurso”? Penso que não. Afinal, nos shows gospel, “dá vontade de pular, dá vontade de dançar, dá vontade de gritar, dá vontade de correr”. Só não dá vontade de ouvir a Palavra de Deus.


Duro é este artigo. Quem o pode ler?


Ciro Sanches Zibordi


Fonte: Blog do Ciro

Exclui acidentalmente quase 200 postagens

Meus amigos, ontem, acidentalmente, ao tentar organizar alguns marcadores, deletei aproximadamente 200 postagens.

Estou tentando recuperar algumas pelo histórico de meu computador. Outras, vejo que não há chance. 

Desculpem-me o transtorno!