Histórias ou Estórias?


Já ouvi fatos reais a respeito da intervenção de Deus na vida de alguém. Eu mesmo poderia contar sobre coisas que aconteceram na minha vida. Há uns fatos contados por pessoas de nosso meio evangélico que, de fato, podem ser reais. Outros podem ser coisas inventadas. Você pode estar se lembrando de algum nesse momento, imagino. 

A Bíblia nos diz para examinarmos tudo, retendo o que é bom. (I Tessalonicenses 4.21), e, eu recebi pelo Facebook e alguns amigos postaram em suas páginas, o seguinte texto: "Uma pequena menina, foi levada pela tia pra igreja e aceitou a Jesus. Chegando em casa ela falou com os pais assim: “Pai deixa eu ser crente ?” O Pai e a mãe disseram: “De jeito nenhum, nós somos seguidores de Maomé.” Ela insistiu tanto que os pais falaram: “Com uma condição, todo o culto que você for, quando você chegar em casa você vai tomar uma surra!” Ela falou “Tudo bem!”. Ela ia pro culto chegava em casa uma surra, ia pro culto chegava em casa outra surra. Um dia a tia deu pra ela um vestido branco e ela cantou na frente da igreja sozinha o primeiro solo dela aos 12 anos, ela tinha 1 aninho de convertida. Quando acabou o culto ela ficou com as coleguinhas, todo mundo feliz. O pai dela veio bêbado, pegou a menina e a espancou, diante da igreja, bateu a cabeça dela no meio fio e a machucou muito. Prenderam o pai. Então, a tia e o pastor pegaram a menina e a colocaram em um banco, tiraram o vestido branco dela enquanto ela ficava perdendo a consciência, perdia a consciência e voltava, então, naquele instante quando voltava a consciência ela falava ”Pastor cadê meu vestidinho?” O Pastor falou “esquece o vestido minha filha, ele tá todo sujo de sangue, fica firme, aguenta que o médico tá chegando” Aí ela apagava, aí ela acordava de novo e falava “Tia.. Pastor, me dá o meu vestido, eu quero o meu vestidinho branco” e eles falavam “esquece o vestido, ele tá todo sujo” Isso aconteceu cinco vezes; na quinta vez que aconteceu isso a menina falou : “Pastor eu estou vendo Jesus ali em pé, e Ele está me dizendo que vai me levar agora, por favor, pelo amor de Deus, por tudo o que é mais sagrado, me dá o meu vestidinho branco?” O pastor disse “Por que?” Ele foi lá, pegou o vestido e deu pra ela, ela abraçou o vestidinho só de calcinha e foi fechando os olhinhos pela última vez nessa terra, e o pastor perguntou “Mas por que você quer tanto esse vestido?” E as últimas palavras dela foram: “Eu quero entrar com esse vestidinho sujo de sangue no céu, pra mostrar pra Jesus, que assim como um dia ele sangrou por mim, eu também sangrei por Ele."

Os comentários foram de emoção, de tristeza, de elogio, mas teve um que incomodou: o meu comentário...
Nele eu disse: "E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas" (Colossenses 2.4) Efésios 5.6 e Colossenses 2.8 já nos orienta... E vejo isso uma coisa meia bizarra... não acha? se Jesus tava vendo ela e ela vendo ele ( e ele sabe todas as coisas) não precisava ela mostrar o vestido...Jesus estava na vida dela vendo tudo quanto ela estava sofrendo por ele. Não sou de dar atenção a essas histórias inventadas sem lógica. Tem uma história (ou estória) que dizem que uma menina tava no ônibus com o pai. Um crente ao lado dizia: Jesus está voltando! Ai o pai da menina mandou um crente calar a boca, e nesse momento a menina disse ao pai que aquele crente era um servo de Deus...O pai da menina chorou dizendo: É um milagre! pois a minha filha não falava e agora esta falando...Depois inventam o mesmo caso, só que desta vez não foi no ônibus, mas sim na rua...E era uma mãe que passava na rua e "aconteceu" (?) o mesmo. Nós evangélicos gostamos de inventar milagres, já que muito não acontece em nosso meio. "E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." ( II Timóteo 4:4). "Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade." ( II Pedro 1:16). "E por avareza farão de vós negócio COM PALAVRAS FINGIDAS; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita." (II Pedro 2.3)."

Eu creio em Deus, mas não preciso me deixar levar por histórias artificialmente compostas. Tais coisas não irão me comover, não irão mexer com minha emoção e muito menos irão acrescentar algo à minha fé. Minha fé não precisa disso. Eu a alimento e a fortaleço com a palavra de Deus e pela oração. Não será preciso criar fatos para provar minha crença.

Deus tem Facebook?



Logo pela manhã, muitos já entram "orando" no Facebook, escrevendo: "Obrigado Senhor por esse dia lindo", " Deus, que o Senhor venha abençoar esse dia", " Jesus, nos dê uma semana abençoada", e assim por diante. Uns até usam palavras bonitas em longas orações de textos...

Em alguns minutos, surge um amigo curtindo, comentando, ou compartilhando. Uns dizem "amém", outros acabam orando também. Só não sei como escrevem e postam suas "orações" de olhos fechados. Eu imagino alguns ajoelhados diante do computador orando e postando suas orações...

Orar é falar com Deus, é conversar com Ele. O fato é que Ele não tem Facebook para "responder" orações postadas ou compartilhadas. "E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar até nas rede sociais, e fazem isso para serem vistos pelos amigos. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão." ( Verídico 6:5).

Muitas pessoas querem estar "online" na internet, mas podem estar "offline" com Ele fora dela. Há pessoas que gostam de orar no Facebook, mas têm vergonha de orar fora da sua página na internet. Você tem feito isso? Você tem entrado em seu quarto e falado com Deus, conforme ensina Mateus 6.6?

"Mas tu, quando orares, entra no teu Facebook e, escrevendo no seu mural, ora a teu Pai que não tem Facebook; e teu Pai, que vê você teclando, te abençoará. E, orando, não posteis de vãs repetições, como seus amigos, que pensam que por muito postarem estão orando." (Fariseus 6:6).

Faltando menos de 10 dias para o mundo acabar, garota teme morrer virgem.


Estudante contou ao Gazeta Serra tudo que precisa fazer antes do fim do mundo.

Moradora do município da Serra-ES., estudante de Rentolonologiatistica , Silvia Silva, 15 anos, está preocupada com o fim do mundo em 21 de dezembro. Acontece que Silvia ainda precisa fazer muita coisa e acredita que não dá mais tempo sequer de fazer a metade. 

Dentre tantas, a maior preocupação de Silvia é morrer virgem. "Este com certeza está sendo o maior problema da minha vida, mas além deste, tenho outras coisas pra fazer e sei que não vou conseguir por falta de tempo", disse. 

A adolescente disse que precisa fazer muitas coisas que nunca conseguiu na vida e que é normal entre adolescentes da mesma idade. Ficar bêbada é uma das coisas que Silvia pretende fazer antes do fim do mundo. 

"Todas as minhas amigas já pagaram esse mico de sair do bar bêbada sendo segurada pelos amigos. Comigo isso nunca aconteceu porque eu não bebo. O mundo vai acabar e vou morrer sem saber como é ficar bêbada", disse a adolescente lamentando. 

A jovem disse também que nunca virou a noite na Internet. "Sempre dormi cedo enquanto alguns amigos passam a madrugada usando Internet, no Facebook, e só dormem quando o dia amanhece. Nunca fiz isso. É outro objetivo que pretendo conquistar antes do fim do mundo", disse.

Fonte: Gazeta Serra

Comercial da Nike com Neymar e Anderson Silva nega Deus


Um vídeo lançado recentemente pela Nike trata de maneira negativa a conhecida frase “Deus é brasileiro”. No vídeo, lançado no canal da empresa no Youtube, são mostradas várias cenas de atletas praticando esportes ou treinando e uma narração acompanha as imagens desenvolvendo a ideia de que as conquistas vem exclusivamente do esforço pessoal
 e não de uma “força mágica ao nosso redor”.


- Faz tempo que a gente fala que Deus é Brasileiro, que não é a gente que traça nosso destino – afirma o vídeo, intitulado “Nike: Encontre Sua Grandeza”, que continua falando que na verdade a “grandeza” não “vem de cima”, mas sim do nosso esforço e vontade.


Utilizando a imagem de atletas consagrados como Neymar e Anderson Silva, o vídeo dá também uma conotação negativa ao termo “escolhido”, geralmente usado no contexto religioso para se referir a pessoas que teriam sido destacadas por Deus para uma determinada tarefa. De acordo com o texto do comercial, esse pensamento é o que paralisaria as pessoas de irem atrás de sua própria grandeza.

Maria, um exemplo de serva de Deus


Muito se fala em defesa do culto à Maria. Pouco se mostra na Bíblia. Maria foi uma humilde e obediente serva de Deus e uma mulher agraciada por Deus para ser mãe de Jesus. Um bom exemplo de mãe! Mas também estou certo de que ela não foi cultuada ou reverenciada, e que, segundo análise bíblica, não se faz preces a ela. Quando o anjo disse "Salve agraciada, o Senhor é contigo..." ele estava dizendo que Maria havia sido favorecida, ajudada por Deus... Foi por isso que o anjo disse: "Achaste graça diante de Deus". Ou seja, Maria achou favor diante de Deus. Maria tinha um Salvador. Ela mesma diz isso em Lucas 1.47. Já a expressão "Bendita és tu entre as mulheres" foi apenas uma declaração . Seria a mesma coisa ele dizer: “Você é abençoada entre as mulheres". Não devemos confundir as palavras que o anjo disse à Maria com culto!

Nos Evangelhos, não encontramos Maria sendo adorada ou homem algum prestando culto a ela e nem mesmo lhe fazendo preces ou lhe acendendo velas. Muitos menos fazendo romarias em sua honra. Vejamos que quando os pastores de Belém foram visitar o menino Jesus, "entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, O ADORARAM; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas" (Mateus 2.11). Porque eles não fizeram isso também à Maria? A resposta é que o Senhor não divide o seu louvor e a sua glória com ninguém (Isaías 42.8). No filme, O alto da Compadecida, entende-se que Maria pode mais que Jesus, mas isso é uma mentira. Na cena em que o personagem João Grilo morre e vai para o céu ser julgado, o "Jesus" diz que o caso ele não pode resolver e logo passa para a sua mãe, a qual salva João. Está conferindo com o que o catolicismo prega, não é mesmo?

Jesus não ficou favorável quando alguns exaltaram a Maria. Em Lucas lemos: "E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste. Mas Jesus disse: 'Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam'." (Lucas 11.27,28). Mateus descreve outro fato muito parecido: "E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te. Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos..." (Mateus 12.47,48, 49).

Dizem que o primeiro milagre de Jesus ocorreu com intervenção de Maria... Que engano! Quando Jesus transformou a água em vinho, Maria lhe disse: "Faltou o vinho". Jesus olhou para ela, dizendo: “Mulher, o que temos nós em comum?" (João 2.3,4), ou: "Mulher, o que tenho eu contigo?" Em outras palavras, Jesus estava querendo dizer que não era preciso que Maria intervisse naquilo que Ele poderia ( e pode) estar fazendo. Jesus é o único Mediador entre Deus e nós (I Timóteo 2:5). Se Jesus e Maria tinham algo em comum, foi até o nascimento Dele. O papel dela nessa história foi de dar à luz à Jesus e ser mãe dele. Nada mais que isso. Ela não seria intermediaria entre Jesus e seus seguidores. Ninguém prova na Bíblia que ela roga por nós, que advoga nossas causas, que é padroeira e que perdoa pecados. Numa das orações feitas à Maria, é dito "Eia, pois advogada nossa", sendo que ela não está no Evangelho como nossa advogada. Onde lemos isso? O que sei é que, se pecarmos, temos um Advogado que é Jesus (I João 2.1), pois se a Ele "confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (I João 1.9).

Com base em Atos 1:14 dizem que Maria estava perseverava na oração. Mas ela não fazia algo que todos devemos fazer como servos de Deus. Falando isoladamente, Maria era serva de Deus. Na Bíblia existe um versículo, exatamente em 1ª Tessalonicenses 5:17, que diz: Orai sem cessar. Maria estava fazendo o seu dever como serva de Deus. E é bom lembrar que TODOS "perseveravam unanimemente em oração e súplicas" (Atos 1.14). É interessante observar também que eles estavam orando COM MARIA e não à Maria. Pregam a respeito de Lucas 2, que Maria intercede por nós porque no texto Jesus foi submisso à Maria. Ele foi submisso porque ainda era humano e, principalmente, porque era uma criança. Ele tratava dos negócios do Pai dele. O que seria do primeiro mandamento com promessa, que é honrar o pais para que se prolongue seus dias sobre a face da terra, se Jesus não fosse submisso à sua mãe? Ele teria pecado e nós estaríamos perdidos.

Maria é também intitulada de "Rainha dos Céus". Mas a rainha dos céus era uma deusa, pela qual o povo não quis obedecer a palavra do Senhor que lhe foi anunciada (Jeremias 44.16) adorando-a com incenso e libações e outras oferendas e sacrifícios (Jeremias 44. 17 -30), provocando assim a ira de Deus ( Jeremias 7. 18) e "andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; e andaram para trás, e não para diante." (Jeremias 7:24). Você não acha coincidência e, ao mesmo tempo, estranho, darem à Maria o título de "Rainha dos Céus"? Isso tudo que se faz para Maria está muito parecido com o culto à rainha dos céus mencionada por Jeremias. Além disso, não encontramos na Bíblia outros nomes e títulos dados à Maria. E quando pregam que Maria é Rainha do Céu, ainda usam o texto de Apocalipse 12. Em Apocalipse 12:1 diz: “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.”. Onde fala que esta mulher é Maria, que foi a mãe de Jesus aqui entre os humanos? Não há menção do nome de Maria. Trata-se de uma profecia e não algo rotulado por homens como melhor aprouve-lhes.

Dizem que em João 19 Jesus "entregou Maria como mãe de todos nós", mas na verdade Jesus nomeia Maria como mãe de João, que era o profeta relatado como o profeta que ele amava, em João 19, 26: “... disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.”. E nomeou João como filho dela. Isso não entrega Maria como mãe de todos nós. Isso cria um laço afetivo maior entre Maria e João, para que um se apoiasse no outro, sendo mãe e filho respectivamente. Mostrando que João era um homem que tinha o amor, o respeito e a confiança de Jesus.

Quando lemos na Bíblia que Maria era uma moça virgem devemos ter bom sendo e entender que não se trata de um título, mas de uma condição. Porém no catolicismo é insistente dar a ela o título de "Virgem Maria". E, ao analisarmos o Evangelho, saberemos que Maria não permaneceu virgem e deu à luz outros filhos. Em Mateus 1.25 entendemos que Maria teve relações com José depois que Jesus nasceu. Vejamos: "E não a conheceu ATÉ que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus." "Conhecer" no sentido bíblico é ter relações sexuais. A mesma expressão é usada com Adão e Eva quando tiveram relações ("E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim"- Gênesis 4:1). Vejamos que em Mateus 1.25 vemos também que Jesus foi o "primogênito". o primeiro filho de Maria. Caso ela não tivesse outros, a palavra que deveria estar nesse versículo é "unigênito" que significa único. Maria teve mais filhos depois de Jesus. Lendo os Evangelhos, encontramos: "Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs?” (Marcos 6:3).

Maria foi um bom exemplo de serva de Deus. Além de ter declarado que Deus era seu salvador (Lucas 1.47), aceitou a vontade Dele em sua vida e cumprir nela a palavra que Deus havia declarado. Foi uma mulher de oração e obediente a Deus. Maria foi feliz nisso! E, de todas as mulheres, foi agraciada por Deus para ser mãe do Salvador.


E a Palavra de Deus?


Em Neemias 8, encontramos o sacerdote Esdras lendo a Palavra de Deus NUMA PRAÇA desde o amanhecer ATÉ AO MEIO-DIA, perante muitas pessoas, entre elas, homens sábios; e os ouvidos das pessoas estavam ATENTOS à Palavra que se lia. Todos se colocaram de pé quando Esdras abriu o livro para ler. Depois, ele condu
ziu o povo a louvar a Deus, e as pessoas se inclinaram e adoraram ao Senhor, com o rosto em terra. E o povo ainda chorou ouvindo a Palavra de Deus! 


Que culto abençoado! Seis horas ouvindo a palavra de Deus! E, só depois, o povo louvou ao Senhor! Que avivamento diferente dos atuais! Hoje, em várias igrejas e nas praça se fizerem uma reunião dessa, será precariamente frequentada. Poderemos contar à dedo as pessoas presentes. Sim, cultos como esse, onde se dá prioridade ao estudo da Palavra de Deus, são desprezados enquanto festas e shows tidos como evangélicos são bem frequentados. Nisso, vemos a falta de apetite pela Palavra de Deus, e uma doença espiritual de extrema gravidade.

Hoje, uma grande multidão, se põe de pé em frente a um palanque somente para adorar (...) por quase cinco horas e a pregação da Palavra de Deus nesses "cultos" dura no máximo 15 minutos ( isso é quando tem pregação...). É disso que a maioria gosta! Têm muita energia para pular, cantar e dançar por horas, mas não têm energia para ficar de pé ouvindo a pregação da Palavra de Deus. Nos cultos dentro de algumas igrejas não tem sido muito diferente...Na hora da pregação, muitos saem para tomar água, para ir ao banheiro, ou até mesmo para ir embora. Outros conversam, mexem no celular...Não ficam atentos à pregação da Palavra de Deus.

Houve um verdadeiro avivamento nos dias de Neemias, e a exposição da Palavra de Deus foi a base daquele avivamento. Quando lemos Neemias 8.8 vemos que Esdras não se limitou em ler as Escrituras Sagradas e, "declarando e explicando" cada texto exposto, fez com que o povo compreendesse o sentido da palavra de Deus. O entendimento da Palavra de Deus gerou um avivamento genuíno. O povo chorou ao entender a Palavra de Deus. Foi um choro de sincero arrependimento. Esdras e Neemias, porém, disseram: "Não se lamentem, nem chorem" (Neemias 8.9). A explicação da palavra de Deus levou o povo a um real arrependimento, mas isso também era motivo de celebração. Afinal, o avivamento havia começado.

É de importância lembrar que a leitura e explicação da Palavra de Deus duraram sete dias, durante seis horas por dia (Neemias 8.3,18). De fato, a exposição das palavras de Deus dá luz e entendimento as pessoas (Salmo 119.130). Imagine um evento gospel em nossa cidade que durasse sete dias e a prioridade do tempo fosse dada para a Palavra de Deus e depois o louvor dado a Deus com corações genuinamente quebrantados diante Dele... Como seria? Parece que o povo não quer saber disso e os seus desejos estão sendo atendidos.

Precisamos de líderes religiosos e organizadores de eventos evangélicos como Esdras, que não se limite a falar a Palavra de Deus ao povo de forma que cause genuíno arrependimento e traga um verdadeiro avivamento no meio do povo de Deus. Temos que viver dias de como esses de Neemias! Não dias como os que Amós presenciou, onde era prática constante o povo ir aos cultos (Amós 5.5), entoar cânticos com muito entusiasmo (Amós 5.23), mas seus atos eram exteriores e não de coração (Mateus 15.7-8), e por isso tudo estava sendo rejeitado por Deus devido a falta de santidade do povo (Amós 5.21-23).