Tradição religiosa ou Palavra de Deus: o que seus pais lhe ensinaram?


"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando ela  envelhecer não se desviará dele" (Provérbios 22.6).

"Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra" (Efésios 6:1-3).

E se meus pais falarem para eu fazer o que a Bíblia condena? O que fazer se meus pais estiverem me ensinando errado e sabendo eu o certo?

Os textos a cima têm sido a base de religiosos orientarem os filhos a não deixarem a religião dos pais. "Nasci nessa religião, meu pai é dessa religião, vou morrer nela", insistem alguns. 

O texto de Provérbios não deve ser aplicado como base somente no ensinamento religioso, mas também nas áreas sociais da vida da criança. Mas, ao aplicá-lo no seguimento religioso, deve se considerar o seguinte: ensinar o errado ou o certo. Qual pai educaria o filho no erro? Infelizmente há pais fazendo isso. 

Já o texto de Efésios 6:1-3 não trata de religião, mas sim do Senhor Jesus. Veja que Paulo diz "sede obedientes a vossos pais NO SENHOR" e não "na religião". Se seus pais pela religião mandam uma coisa e o Senhor pela sua Palavra manda outra, qual você irá obedecer? Pense nisso... Não podemos nos esquecer que Paulo não está falando só aos filhos, mas também aos pais. No versículo 4 ele diz: "E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor" (Efésios 6:4).

Veja que é para os pais criar os filhos na doutrina e admoestação do Senhor! Falar aos filhos para permanecer no erro religioso ou em tradições religiosas que não concordam com a Bíblia não é criá-los na doutrina e admoestação do Senhor!

O próprio Jesus nos faz entender que, para sermos seus discípulos e seguidores, devemos contrariar, além da própria vida, a família. "Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo." (Lucas 14:26). Lembrando que "aborrecer" aqui não é proposital, mas sim espontaneamente servindo ao Senhor quando sua família não quer fazê-lo. Outra vez Jesus disse: ""Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim" (Mateus 10:37).

Jesus, em Mateus 15 e Marcos 7 respondeu de forma direta aos que deixavam o mandamento de Deus para reterem a tradição dos homens, tradição que era religiosa. Ele dizia: "Vocês invalidam o mandamento de Deus para guardarem a tradição que tem". O discurso de Jesus foi contraditório aos fariseus e a todos os judeus que conservavam a tradição religiosa dos antigos.

Finalizando, quero lembrar que a tradição de muitos pais, além de ser uma maneira vazia de viver, segundo entendemos na Bíblia, era algo que aprisionava as pessoas que deveriam se salvar. O próprio Pedro relatou: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" (I Pedro 1:18-19).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar meu blog!