Parte dos capixabas desconfia cada vez mais nas instituições religiosas


Pesquisa revela que população capixaba confia cada vez menos nas instituições religiosas.

Entre 2010 e 2012, aumentou o número de pessoas que não acreditam nas igrejas

Em tempos de mudanças nas igrejas, uma pesquisa realizada no Estado pelo Instituto Futura revela que a população capixaba confia cada vez menos nas instituições religiosas. Entre 2010 e 2012, o número de pessoas que disseram não acreditar nas igrejas aumentou de 39,7% para 46,3%.

Já entre os que creem, o percentual caiu de 58,8%, em 2010, para 51,3%, em 2012. O levantamento avaliou o nível de confiança das pessoas nas instituições, sejam elas do âmbito privado ou público. O Corpo de Bombeiros lidera a lista com 91,5 de credibilidade. Na sequência vêm Procon (68,8%), organizações de proteção ao meio ambiente (64,8%) e Polícia Federal (60,5%). Em último aparecem os partidos políticos, com 6,3%.

Na avaliação do teólogo e especialista em Religião de A GAZETA, Vítor Nunes Rosa, vários fatores conduzem ao desgaste dos grupos religiosos. “As instituições representam valores absolutos aos quais as pessoas não estão se apegando mais”, diz. Ele aponta também que esse questionamento se dá principalmente entre pessoas com maior grau de escolaridade. Mas também há fatores relacionados diretamente à atuação das igrejas que ajudam na queda de credibilidade. “Denúncias de corrupção, desvio de dinheiro e pedofilia causam desgaste”, alerta.

A mercantilização da fé é outra das razões. “A visão pragmática de certas religiões tem levado as pessoas à descrença”, observa. Rosa também aponta outra importante mudança no ponto de vista das pessoas: “Antes os mau-feitos eram avaliados de forma individual, e as instituições eram preservadas. Isso também”.

A visão negativa, segundo Rosa, está relacionada ao trabalho de denúncia mais intenso feito por segmentos sociais, entre eles a imprensa. “Os indicadores são fundamentais sobretudo para igrejas históricas, para que elas repensem seu papel social. É momento de reavaliação”, diz. A pesquisa ouviu 400 pessoas em Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra.

Quem confia

Bombeiros 2010: 84,91% 2012: 91,5%

Procon 2010: 60,8% 2012: 68,8%

Organizações de proteção ao meio-ambiente 2010: 58,1% 2012: 64,8%

Polícia Federal 2010: 54,8% 2012: 60,5%

Instituições religiosas 2010: 58,8% 2012: 51,3%

Ministério Público 2010: 45,7% 2012: 51,0%

Mídia 2010: 41,7% 2012: 44,0%

Polícias 2010: 40,0% 2012: 60,0%

Governos 2010: 37,0% 2012: 35,8%

Justiça 2010: 27,8% 2012: 32,0%

Sindicatos 2010: 24,8% 2012: 30,5%

Assembleia Legislativa 2010: 17,1% 2012: 14,3%

Câmara de Vereadores 2010: 14,9% 2012: 11,3%

Partidos políticos 2010: 9,2% 2012: 6,3%

Quem não confia 

Bombeiros 2010: 14,4% 2012: 7,5%

Procon 2010: 36,5% 2012: 26,5%

Organizações de proteção ao meio-ambiente 2010: 39,2% 2012: 34,8%

Polícia Federal 2010: 42,9% 2012: 38,5%

Instituições religiosas 2010: 39,7% 2012: 46,3%

Ministério Público 2010: 50,4% 2012: 45,8%

Mídia 2010: 57,1% 2012: 55,5%

Polícias 2010: 61,5% 2012: 59,8%

Governos 2010: 61,0% 2012 63,5%

Justiça 2010: 70,5% 2012: 67,3%

Sindicatos 2010: 72,5% 2012: 68,8%

Assembleia Legislativa 2010: 80,4% 2012: 83,5%

Câmara de Vereadores 2010: 82,4% 2012: 86,5%

Partidos políticos 2010: 89,1% 2012: 93,5%

Instituições Religiosas

50% dos moradores da Serra não confiam na igreja. É o maior percentual da Grande Vitória Os que mais confiam (55,4%) moram em Cariacica

64,1% dos que mais confiam têm entre 50 e 59 anos

A maior parte dos que não confiam (53,8%) está entre 30 e 39 anos

53,4% dos que confiam têm apenas o nível fundamental

49,2% dos que não confiam têm o ensino superior

Fonte: A Gazeta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar meu blog!