Maria, cheia de graça e bendita mais que todas as mulheres?

Estive lendo o texto "Maria, bendita mais que todas as mulheres", cujo trecho foi retirado do livro “Maria- Mulher de Gênesis ao Apocalipse” do padre Jonas Abib.

Em meio aos erros falando sobre Maria, o padre Jonas Abid diz: "A ninguém as Escrituras chamam 'cheia de graça', só a ela!"

O padre está certo do que diz? O evangelho de São João diz: "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, CHEIO DE GRAÇA e de verdade" (João 1:14). Na versão católica da Bíblia diz: "Estêvão, CHEIO DE GRAÇA e fortaleza, fazia grandes milagres e prodígios entre o povo" (Atos 6:8).

Não foi só Maria que achou graça diante de Deus. Em Atos 7 lemos que Davi "achou graça diante de Deus, e pediu que pudesse achar tabernáculo para o Deus de Jacó" (Atos 7:46).

Se a expressão "Bendita" ou "bendita entre as mulheres" foi dirigida a Maria para que cultuemos a ela, então deveriam cultuar também a Rute, a Jael, e a Abigail...

"E disse ele: Quem és tu? E ela disse: Sou Rute, tua serva; estende pois tua capa sobre a tua serva, porque tu és o remidor. E disse ele: Bendita sejas tu do Senhor, minha filha; melhor fizeste esta tua última benevolência do que a primeira, pois após nenhum dos jovens foste, quer pobre quer rico" (Rute 3:9-10).

"Bendita seja entre as mulheres, Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja entre as mulheres nas tendas" (Juízes 5:24).

"Então Davi disse a Abigail: Bendito o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro. E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão". ( I Samuel 25:32-33).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar meu blog!