A toalhinha ungida que trouxe tristeza a mim e sofrimento a minha mãe no leito do hospital...




A toalhinha ungida que trouxe tristeza a mim e sofrimento a minha mãe no leito do hospital...

Foi com os olhos cheios de lágrimas que eu decidi expor esse acontecido aqui. Talvez, alguns dirão que eu não deveria postar isso aqui. Mas eu preciso expor minha tristeza a respeito de um fato ocorrido dias antes de minha mãe falecer... Isso é verídico (em Deus digo a verdade, não minto). ISSO NÃO É ALGO QUE EU INVENTEI! Meus irmãos talvez tenham se esquecido disso.

Em 2009, minhã mãe começou a apresentar sérios problemas de coração e em Junho teve que fazer cateterismo. Como ela sofreu! Em seu quarto, sofrendo na cama, dizia que iria partir. Em 19 de Junho, dia em que ela completava 58 anos, teve febre em casa e teve que ser internada. No dia 21 de Junho, quando minha mãe sofria no leito do hospital aqui em Anchieta, uma pessoa, que está no Facebook agora, me ligou pedindo que eu fosse até a Igreja Mundial aqui em Anchieta e pegasse uma toalhinha ungida... "Nerli, você acredita em Deus?",perguntou-me a pessoa pelo telefone. "Sim, eu acredito", eu respondi. "Então, vai na igreja Mundial e pega uma toalhinha ungida e entrega para sua mãe no hospital. Faça isso, mas não diga isso para ninguém.". Desliguei o telefone e fui até a igreja...

Eu, me deixando levar pela crendice, fui e peguei a toalhinha e levei até minha mãe. Me lembro que nessa ocasião fui pego em momentos de "fraqueza espiritual", mas mesmo assim, decidi praticar ao menos esse "ato de fé" (?) levando uma toalhinha ungida para minha mãe no hospital... Eu expliquei a ela do que se tratava e deixei a toalhinha em suas mãos. Eu não sei onde eu estava com a cabeça para cometer tamanha burrice. Na hora, algo me dizia que eu estava errando. Claro, eu que havia conhecido a Palavra de Deus, me deixei levar por tal crendice. Minha consciência me condenou diante desse ato...

No leito do hospital, minha mãe ficou tão apegada aquela coisa, passando a estar possuída por algum sentimento ao objeto. Aconteceu que a toalhinha sumiu e minha mãe, que já estava sofrendo de coração, foi tomada de uma angústia por ter perdido a toalhinha. Eu olhava para minha mãe e ela sofria preocupada por pelo descuidado que teve com aquilo. Minha mãe estava tendo aquilo como algo muito importante...Ela idolatrou aquilo, e tudo por minha culpa! Algumas vezes deixei de ir ver minha mãe no hospital, porque ela sempre lamentava ter perdido a tal toalhinha, e eu me sentia culpado por aquele sofrimento emocional. Eu ainda tentava passar para ela que aquilo não era importante, mas o mal já estava feito. Era tarde demais...Minhã irmã Jô ainda me falava sobre o sofrimento da minhã mãe por ter perdido a toalhinha, e isso me entristecia mais.

A cada dia minha mãe sofria mais por haver perdido a toalhinha. Até hoje sinto certa culpa no sofrimento dela quando ela mais precisava estar bem, alegre, bem consigo mesmo...Minha mãe escondia a toalhinha para ninguém ver, tinha aquilo como algo de especial, mas não por mim, e sim porque era algo que envolvia cura, fé. Fiz minha mãe sofrer por causa de uma coisa desnecessária, inútil. Ela sofria quando mais precisava de repouso e paz. Até hoje me arrependo por ter dado a toalhinha para minha mãe naquele hospital. Eu acreditei que a enfermidade deixaria a minha mãe, mas aquilo se agravou mais e mais. Minha mãe teve que ser levada para a UTI e lá ser entubada. Ela estava nos seus últimos momentos de sua vida... No dia 23 de Junho de 2009, ela veio a falecer.

Até hoje me arrependo de ter feito tal coisa! A coisa principal que eu deveria ter feito, eu não fiz, que foi ter trago ela para o caminho da fé genuína em Deus, ter orado mais por ela no leito de sua enfermidade. Eu apenas cometi esse ato medíocre de fé levando a minha mãe a ter um apego idolátrico em um tecido que não tinha nada de unção de Deus. Eu iludi minha mãe com esse "ato de fé" ridículo.