Pastores da Maranata são soltos pela justiça


Justiça manda soltar pastores da Maranata
Grupo estava preso havia oito dias, durante investigação sobre desvio de dízimo.

Uma decisão judicial colocou em liberdade, no final da noite de ontem, os quatro pastores da Igreja Cristã Maranata presos no último dia 12, acusados de coagir testemunhas durante investigações sobre desvio do dízimo na instituição.

O Tribunal de Justiça do Estado (TJES) confirmou a decisão – assinada pelo juiz Marcelo Loureiro, da Central de Inquéritos da Comarca de Vitória – e disse que ela deveria ter cumprimento imediato.

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), o documento de liberação poderia ser cumprido a qualquer momento, bastando sua apresentação pelo advogado dos acusados à direção do complexo prisional.

Prisões

No entanto, até as 22h30 desta quarta, todos os que estavam em unidades prisionais continuavam detidos. Carlos Itamar permanecia no Quartel do Comando-Geral da Polícia Militar, em Maruípe, Vitória; e Elson dos Reis e Amadeu Lopes, no Centro de Detenção Provisória Viana II (CDPV). Já Gedelti Gueiros havia obtido, no dia 12, o benefício de prisão domiciliar por ter mais de 80 anos de idade.

A assessoria de imprensa da Igreja Cristã Maranata afirmou que não comentaria o assunto. Os pastores foram presos durante operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPES), e pela Polícia Federal.

A assessoria de imprensa da Igreja Cristã Maranata afirmou que não comentaria o assunto. Os pastores foram presos durante operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPES), e pela Polícia Federal. 

Fundação tem 30 dias para defesa

O Tribunal de Contas do Estado determinou que a Fundação Manoel dos Passos Barros, da Igreja Maranata, tem 30 dias para esclarecer as irregularidades apontadas pela auditoria feita no repasse de verba pública para a instituição, que pode ter que devolver o montante de R$ 762 mil.


Entenda o caso 

Desvio de dízimo 

Em fevereiro de 2012, o Ministério Público Estadual abriu uma investigação criminal a partir de informações de que o dízimo doado por fiéis da Maranata era desviado por pastores, diáconos e fornecedores da igreja. O prejuízo estimado era de R$ 21 milhões, mas a Maranata recorreu à Justiça, pedindo o ressarcimento de R$ 2,1 milhões

Descaminho 

A Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF) também investigam denúncias de que parte do dinheiro desviado teria sido usada para importar, de forma ilegal, equipamentos. O material comporia um sistema de audiovisual usado para transmissão de cultos

Acusados 

O então vice-presidente da igreja, Antônio Angelo Pereira dos Santos, e o diácono e contador Leonardo Alvarenga foram apontados, pela Maranata, como os responsáveis pela corrupção. Eles foram afastados e processados 

Mais envolvidos

Investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) revelaram que outros pastores, incluindo o líder da igreja, Gedelti Gueiros, estariam envolvidos. Seus sigilos bancário e fiscal foram quebrados

Operações 

No fim de 2012, Gaeco e a PF realizaram a operação “Entre Irmãos”, com busca, apreensão e sequestro de bens da igreja e de pastores

Prisões 

No último dia 12, quatro pastores da Maranata – incluindo presidente Elson Pedro dos Reis, e Gedelti Gueiros – foram presos acusados de coagir testemunhas, promotores e uma juíza para garantir que as vítimas mudassem depoimentos prestados sobre as fraudes.

Fonte: Gazeta Online

Evangélico, padrasto sonha com morte de jovem dois dias antes de assassinato


Padrasto sonha com morte de enteado dois dias antes do assassinato do jovem.


Foto: Ricardo Medeiros
Ricardo Medeiros
Osvaldo Luiz Rodrigues, padastro de Maycon, sonhou que o rapaz seria morto


Crime ocorreu em Santa Rita, Vila Velha. Rapaz de 19 anos foi assassinado a tiros.

O vício em crack fez mais uma vítima, em Vila Velha. O jovem Maycon Nunes de Oliveira, 19 anos, foi assassinado a tiros, no início da manhã desta quarta-feira (20), no bairro Santa Rita. O padrasto da vítima, o aposentado Osvaldo Luiz Rodrigues, 49, disse que, dois dias antes do crime, havia sonhado com a morte do enteado.

“Minha mãe - que já é falecida - aparecia no sonho. Ela me aconselhava a me manter firme. No mesmo sonho, eu via o Maycon morto”. Osvaldo disse que o jovem era usuário de crack desde mais novo e que por diversas vezes tinham tentado levá-lo para igreja evangélica frequentada pela família. “Mas ele não queria”, destacou o aposentado.

Maycon foi assassinado com tiros na cabeça, por volta das 6 horas, na Rua Darcy Vargas, em Santa Rita. Nenhuma testemunha disse à polícia quantos atiradores eram, se estavam a pé ou se fugiram em algum veículo.

Segundo os policiais militares que estiveram no local, os vizinhos disseram apenas que escutaram barulho de tiros logo cedo, embora não tenham detalhado quantos. 

Maycon morava em Santa Rita com a mãe e o padrasto. De acordo com o senhor Osvaldo Luiz, ele era o filho caçula, e deixa duas irmãs. A polícia informou que ele nunca havia sido preso.

Ameaças

O padrasto de Maycon foi único da família da vítima a ir ao local do crime, que fica na mesma rua da Igreja Católica da comunidade. Osvaldo afirmou que eles não sabiam se a vítima estava sendo ameaçada de morte. Investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram na casa do jovem e, em contato com a mãe dele, souberam que Maycon era usuário de crack desde os 13 anos e que, constantemente, passava dias sem aparecer em casa, só frequentando bocas de fumo.

Fonte: Gazeta Online

Suspeita de desvio de dinheiro em igreja da Assembleia de Deus


Templo, em Maruípe, Vitória, está sob intervenção da convenção da igreja

Próxima NotíciaApós contaminação por soda cáustica, supermercados recolhem todos os produtos Ades
 A Assembleia de Deus de Maruípe, em Vitória, está sob intervenção, desde o último domingo, após denúncia sobre desvio de dinheiro do dízimo de seus fiéis. A intervenção foi decretada pela Convenção das Assembleias de Deus do Espírito Santo e Outros (Cadeeso), mas o presidente da instituição, pastor Oscar Domingos de Moura, não revelou qual seria o montante do dinheiro supostamente desviado.

Oscar Moura afastou o também pastor e o tesoureiro do templo e disse que tudo será apurado. Procurado por A GAZETA, o pastor afastado não foi encontrado, e por isso seu nome não é divulgado.

Prazo

Com o afastamento do pastor, o templo está sendo gerido por um interventor. O prazo da intervenção pode durar até 180 dias, conforme estabelece o estatuto da Cadeeso. 

Esta não é a primeira vez que a Assembleia de Deus enfrenta esse tipo de problema. Em fevereiro do ano passado, outro templo, da Serra-Sede, tornou-se alvo de investigação por desvio de dinheiro proveniente do dízimo dos fiéis.


Na época, a denúncia dava conta de enriquecimento ilícito de pastores – um deles teria patrimônio superior a R$ 6 milhões; e também compra de imóveis e carros, com uso do nome da igreja. 

O caso está sob investigação da Delegacia do Consumidor, mas a Polícia Civil, ainda não forneceu informações sobre o andamento da apuração.

Fonte: Gazeta Online 

Pastores da Maranata prestam depoimento sobre denúncia de desvio de dízimo de fiéis



Foto: Reprodução | TV Gazeta
Reprodução/TV Gazeta
Fundador da igreja, Gedelti Gueiros (à dir.) esteve no Ministério Público nesta terça-feira (19)


Os quatro são suspeitos de interferir nas investigações, coagindo e intimidando testemunhas e autoridades

Quatro pastores da Igreja Maranata começaram a ser interrogados pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) nesta terça-feira (19), em Vila Velha. Eles foram detidos há uma semana, em uma operação conjunta entre o MPES e a Polícia Federal. Os pastores são investigados por crimes como estelionato, lavagem de dinheiro, tráfico de influência, falsidade ideológica e desvio de erário. Os quatro são suspeitos de interferir nas investigações, coagindo e intimidando testemunhas e autoridades. De acordo com o Ministério Público, o desvio de dízimo na instituição pode chegar a R$ 21 milhões.

Pela primeira vez, o atual presidente Elson Pedro dos Reis e o pastor Amadeu Loureiro prestaram depoimentos sobre as denúncias de ameaças, coações e intimidações a testemunhas. Os dois estão presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Viana e chegaram em uma caminhonete do Grupo de Tático Móvel, da Secretaria de Justiça.

Carlos Itamar Coelho Pimenta, também preso na semana passada, chegou acompanhado apenas por um policial e não quis gravar entrevistas.

Um dos fundadores da Igreja Cristã Maranata, Gedelti Gueiros, afastado da presidência da instituição no ano passado, chegou em seguida. Ele também não quis falar com a reportagem. Gueiros está em prisão domiciliar porque tem mais de 80 anos.

Os pastores são apontados como agente intelectuais que estariam interferindo no curso das investigações, ameaçando e intimidando testemunhas e até membros do Ministério Público e do Judiciário. A Igreja Cristã Maranata é investigada pelo MP-ES desde março de 2012, por crimes como estelionato, lavagem de dinheiro, tráfico de influência, falsidade ideológica e desvio de erário.

Os advogados da Maranata foram procurados, mas não quiseram se pronunciar sobre o caso. O MP-ES também foi acionado, mas não divulgou nenhuma informação.

Fonte: A Gazeta e Gazeta Online

Família fica ferida após carro bater em poste a caminho da igreja na BR 262, em Cariacica


As vítimas estavam no carro de um amigo, 19 anos, que rodou na pista, e derrubou um poste em Jardim América

Três integrantes de uma mesma família se envolveram em um acidente de trânsito no momento em que seguiam para a igreja, na manhã deste domingo (17), em Cariacica. As vítimas estavam no carro de um amigo, 19 anos, que rodou na pista, e derrubou um poste, na BR-262, em Jardim América. 

O motorista seguia pela faixa da direita e, após passar por uma curva, teria perdido o controle da direção após mexer no painel do veículo. Segundo policiais rodoviários federais, a batida aconteceu às 8h40, no km 2,6, sentido Vitória-Viana, e não envolveu outro veículo. 


Foto: Vitor Jubini
Vitor Jubini
Acidente na BR 262, em Jardim América


O motorista do Honda Fit prata, de Alegre, Jeferson Silva Teixeira, foi o único que não foi socorrido e levado para hospitais da Grande Vitória. Apesar de sentir dores em uma das mãos, ele fez questão de permanecer no local do acidente. O condutor foi abordado pela equipe de reportagem, no entanto, não quis dar entrevista.

Entre os passageiros, o carona do veículo, Mário Matos, 35, era o que estava mais grave. Ele foi socorrido por uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) e levado para o Hospital São Lucas, em Vitória.  

A mulher dele, Renata Domingos, 35, viajava no banco de trás, acompanhada pelo enteado, Mateus Henrique de Matos, 11. Ainda de acordo com os policiais podoviários federais, Renata estava com leves escoriações. Foi ela quem acompanhou - na mesma ambulância do Samu - o entando até o Hospital Infantil de Vitória.


Foto: Vitor Jubini
Vitor Jubini
Acidente na BR 262, em Jardim América


Igreja

Os ocupantes do Honda Fit participariam de um culto evangélico, na Igreja Missões, em Campo Grande, Cariacica, na manhã deste domingo. Assim que souberam do ocorrido, muitos amigos das vítimas foram à rodovia para dar apoio.

Um dos amigos - que não quis se identificar - informou que, pouco antes da batida, as vítimas do acidente haviam parado em um posto de combustível, localizado a 300 metros do local. Eles aguardavam um casal de amigos, para seguirem juntos para a igreja.