O que passa em sua mente quando você canta na igreja?



Demostrando estar "apaixonado, desesperado de amor" por Deus, alguém canta: "Abro mão dos meus sonhos, abro mão dos meus planos, abro mão da minha vida por Ti, abro mão dos prazeres e das minhas vontades, abro mão das riquezas por Ti". E ainda tenta ser mais ousado para Deus: "Estou disposto a morrer por Ti".

O que estamos cantando tem sido suave e verdade aos ouvidos de Deus? Será que Ele tem gostado das nossas expressões de louvor? Abriríamos mesmo mão dos nossos sonhos e planos por Deus, como, por exemplo, para ser um missionário no nordeste do Brasil ou na região mais pobre da África? Muitos jovens vão realizar as coisas para Deus depois que seus sonhos e planos já estão realizados. Muitas vezes não queremos deixar de fazer uma faculdade muito importante para realizar a vontade de Deus.

Muitos cantores, instrumentistas, as bandas evangélicas que surgem hoje, a maioria deles busca pela fama, por reconhecimento na multidão, na igreja, desejam os holofotes, sonham em gravar CD, DVD, cantar na TV, têm seus sonhos e planos para seus próprios interesses, para sua própria glória. E se Deus pedisse o contrário? E se Ele quisesse que eles se voltassem para as coisas humildes ou até mesmo que fossem realizar outras obras que não envolva a fama e dinheiro? Será que aceitariam abrir mão da fama, do sonho de gravar CD, etc? O fato é que Deus deseja outras coisas para eles, mas eles insistem em fazer suas próprias vontades.

Vamos supor que você está muito bem empregado, trabalhando para um politico que você votou, recebendo um bom salário, e esse político começa a se corromper e você tenha que desobedecer a Deus mentindo, participando da sujeira do seu patrão, enganando pessoas, jogando a poeira para baixo do tapete... Será que você abriria mão do bom salário, do emprego, por Deus ou acharia que se recuasse estaria vacilando com o amigão e patrão politico? Pode acontecer de tudo nos bastidores de um gabinete político, não é mesmo? E até que ponto você deve obedecer ao seu patrão?

E no namoro, você abriria mão dos prazeres e das suas vontades em obediência a Cristo? Há muitos namoros no escuro, onde a vontade da carne predomina. Quão difícil será abrir mão da sensualidade e pornografia, caso o jovem esteja vivendo de aparências no louvor, na igreja! Além de mentir dizendo que abre mão dos prazeres e da suas vontades, possivelmente poderá mentir quando cantar "eu me arrependo, Senhor, eu me arrependo, Senhor". É preciso que haja mesmo um arrependimento genuíno em nossos corações! Não podemos continuar mentindo ao Senhor, cantando "quero aprender com meus erros e não mais cometê-los". Isso precisa ser verdade em nossos lábios!

Devemos refletir, nos avaliar, quando nos expressamos para o Senhor ao cantarmos: "Estou disposto a morrer por Ti". Seria isso verdade em nós? Será que estamos mesmo dispostos a morrer por Jesus? E não é só estar disposto, mas sim preparado para morrer por Cristo. É tão fácil cantar isso no culto, aqui no Brasil, não é mesmo? O que faria você ou eu se um islâmico extremista, perguntasse se somos cristãos e servimos a Cristo, nos ameaçando de morte? Em outros países, cristãos que confessam a Cristo, estão dispostos a morrer fazendo a vontade do Senhor, e então, fazendo isso, são assassinados por grupos extremistas. O problema é acharmos que nunca vai acontecer com a gente, não é mesmo? E não falo só de morrer por Cristo, mas também morrer para o pecado, para o mundo e viver uma nova vida com Deus.

Pense nisso! Nerli.

GEAZI, MENTIU PARA SE DAR BEM, MAS SE DEU MAL!

"Aquele que é cobiçoso corre atrás das riquezas; e não sabe que há de vir sobre ele a penúria" (Provérbios 28:22).

Após ter sido curado da lepra, Naamã quis dar uma preciosa "oferta" a Eliseu, o qual recusou receber. Embora Naamã insistisse, Eliseu não aceitou. A "oferta" era só trezentos e cinqüenta quilinhos de prata, setenta e dois quilinhos de ouro e dez mudas de roupas finas (2 Reis 5:5). E Eliseu não pegou! Ele não estava vendendo milagres e bênçãos.

Porém, sempre existe alguém oportunista, interesseiro e avarento que não abre mão de uma valiosa "oferta", como fez Geazi nesse ocorrido. Quando Naamã foi embora, ele esperou Naamã se distanciar um pouco e correu atrás dele, sem que Eliseu visse, e usando de mentiras, conseguiu parte da oferta, setenta quilos e duas mudas de roupas (2 Reis 5:23).

Geazi que achava estar se dando bem fazendo o que era errado, enganando, acreditando que Eliseu não saberia daquele ato, trouxe para si a lepra que antes era de Naamã. Eliseu disse que aquele "não era o momento de aceitar prata nem roupas, nem de cobiçar..." (2 Reis 5:26). Geazi ficou rico? Não!

INFELIZMENTE, HÁ POUCOS COMO ELISEU E MUITOS COMO GEAZI EM NOSSOS DIAS! POUCOS RECUSAM UMA OFERTA NA HORA DO MILAGRE, MUITOS VENDEM BÊNÇÃOS E CURAS. MULTIPLICAM-SE OS 'GEAZIS' EM NOSSOS DIAS, HOMENS CHEIOS DE AVAREZA, ENGANADORES, FINGIDOS, QUE SE APROVEITAM DAS PESSOAS PARA FAZEREM NEGÓCIOS COM ELAS!

"E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita" (2 Pedro 2:3). Lembremo-nos: "Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber" (Atos 20:35).