"Em espírito e em verdade..." (João 4:23,24)

Existem pessoas que ao cantarem certos louvores cantam com a mesma emoção que outras pessoas cantando músicas seculares, sem um real sentimento, com falsas juras de amor, falsas declarações e falsas promessas...

Calma, que eu explico!

Quando eu era adolescente, ouvia a dupla Pedro e Tiago cantar uma música que diz: "Vou parar o mundo pra você, todas as estrelas te trazer, um toque de mágica, baby". Tem uma outra música cantada pelo grupo musical Pollo, que diz: "Vou caçar mais de um milhão de vagalumes por aí, pra te ver sorrir eu posso colorir o céu de outra cor, eu só quero amar você...", e ainda vão além e declaram: "Vou de Marte até a Lua". Ainda tem a dupla Henrique e Diego, cantando com um "coração sem noção", dizendo: "Por você eu bebo o mar de canudinho, e atravesso o Pólo Norte de Shortinho, entro descalço num vulcão em Erupção, faço de tudo pra ganhar seu Coração".

Logicamente, o Pedro e Tiago nunca pararam o mundo, nunca trouxeram todas as estrelas, nem mesmo em "um toque de mágica" para alguém, assim como os integrantes do grupo Pollo não vão caçar mais de um milhão de vagalumes por ai para ver alguém sorrir e nem poderão colorir o céu de outra cor por amor a alguém e não irão de Marte até a Lua, e também o Henrique e Diego não beberão o mar de canudinho, nem atravessarão o Polo Norte de shortinho, nem entrarão descalço num vulcão em erupção para ganhar o coração de alguém.

Você pode dizer: Ah, mas é uma forma de linguagem que eles usam, é usado de hipérbole (uma figura de linguagem que consiste em exagerar uma ideia com finalidade expressiva, um exagero intencional na expressão). Sim, de fato é isso mesmo! Mas, e no louvor que cantamos usamos hipérbole?

Vejamos: Vou usar os mesmos exemplos que usei numa outra vez aqui. Acredito que não seria hipérbole cantar "Abro mão dos meus sonhos, abro mão dos meus planos, abro mão da minha vida por Ti, abro mão dos prazeres e das minhas vontades, abro mão das riquezas por Ti", nem mesmo cantar "Estou disposto a morrer por Ti". Não seria uma figura de linguagem cantar o cântico "Corpo e Família", não é mesmo? Também não seria figura de linguagem cantar "e que a cada dia eu queria mais e mais estar ao teu lado, Senhor" ou "eu me arrependo, Senhor, eu me arrependo, Senhor", da mesma forma que não é forma de linguagem cantar "quero aprender com meus erros e não mais cometê-los". Cantar "em espírito, em verdade, te adoramos, te adoramos...", não pode ser uma figura de linguagem, não é mesmo?

Pare e pense... Aplique ao seu coração, à sua vida e à sua mente os louvores que você já cantou e ainda canta. Quais são eles? Recorde-os e reflita! Algum louvor que fale sobre abandonar o pecado, sobre santidade, sobre buscar a Deus, sobre estar em comunhão com Deus e obedecê-Lo, etc...Não está ocorrendo o que Jesus recitou em Mateus 15:8? Seria isso adorar a Deus em espírito e em verdade? Examine-se... Talvez, Deus fale o mesmo que falou em Amós 5:21-23.

Abraços! Nerli Nunes.